review sapato louie
Calçados Sapatos Test Drive

Sapato Louie, bom ou Ruim? Confira a review do oxford e mocassim!

Mais uma review de calçados nacionais. Dessa vez, são dois sapatos sociais da Louie calçados. Nesse post eu falo de um mocassim penny loafer e um oxford marrom escuro, mas se você assistir ao vídeo tem spoiler: vem uma review de bota Louie por aí!

Antes de começar, eu quero explicar para você porque é que eu evitei avaliações de calçados nacionais até agora.

Poucas marcas tem fábricas. A Democrata é uma fábrica, a West Coast é uma fábrica, mas a maioria das marcas usam um mesmo grupo de fábricas de sapatos.

Na loja da Richards, você vê botas que estão no site da Anatomic Gel. No site da Barcelona Design, você acha botas com a mesma base das que estão na We Basic. Ambas, você também acha na Black Boots. Mesmo na loja online da Louie, os produtos são feitos na mesma fábrica que faz para a Brogan. Como eu posso responder as dúvidas sobre qualidade e modelos? Pensa bem…

  1. Se os produtos são feitos no mesmo lugar, a variação de qualidade é pequena. Sim, algumas marcas podem ser mais exigentes (uma pode ter forro de couro e sintético), mas as fábricas tentam manter um padrão. Afinal, elas também tem uma reputação.
  2. Opinar sobre design é subjetivo. Acho algumas mais bonitas, mas tem bota por aí para todos os gostos. Eu gosto é das clássicas!
  3. Comparar preço é complicado. Existem vários fatores envolvidos. Além do orçamentos de cada um, tem o que a marca gasta em marketing, qual seu posicionamento e até a postura em relação aos impostos.

Um outro fator importante nesse equação é o atendimento. Um bom atendimento é essencial caso você tenha um problema, mas como eu vou opinar sem nunca ter passado pelo processo de compra de todas elas?

Esses tipos de comparação também vem muito da percepção de valor que cada pessoa tem pelo nome de uma marca. Sinceramente, quando as botas são bem parecidas (ou iguais), e feitas no mesmo lugar, é melhor pegar a mais barata.

Eu enrolei, mas as perguntas continuaram a chegar e resolvi tentar responder da melhor maneira possível. Essas reviews que estou fazendo são de primeiras impressões de produtos que estou comprando. O ideal seria usar por algum tempo antes de falar alguma coisa, mas tenho apenas sete dias para devolver. É bom que acabo passando por toda a experiência de compra e devolução.

A campeã de dúvidas é Louie Calçados! Acho que foi por causa desse post polêmico sobre o processo de fabricação e a publicidade inicial quando a marca foi lançada.  Já vi os sapatos nos pés de alguns amigo, mas nunca havia calçado. Agora, finalmente… respondo a segunda pergunta que eu mais recebo (depois de onde comprar bota Red Wing): Vale a pena comprar um sapato da Louie?

Assista ao vídeo para conferir!

Vamos falar um pouco da Louie

A Louie é uma marca de sapatos, principalmente para homens. Ela tem uma linha feminina, composta por modelos tradicionais do guarda roupa masculino.

A proposta é clássica com produtos para todas as ocasiões. De vez em quando lançam modelos com um artifício modernoso, mas não é onde está o verdadeiro valor da marca.

O lado que mais interessa é o atemporal, principalmente em um mercado carente como o nosso. Eles tem algumas opções de estilos clássicos que pouquíssimas marcas brasileiras tem, como por exemplo o double monkstrap. A ideia é oferecer produtos que fechem a conta entre o visual x qualidade x preço.

A Louie não comunicação rebelde, aventureiro, motociclista, nada disso. O conceito gira é uma coisa íntima, de foto com o cachorro, pés descalços e sorrisos. Aqui entra aquele diferencial da introdução deste texto. A diferenciação fica por conta de alguns designs exclusivos, mas principalmente pela história.

Como foi comprar sapato no site da Louie

A compra foi tranquila.

A página do produto tem várias fotos. Fique atento nos reviews de quem comprou, logo abaixo delas. Repare nas instruções com tabela de medidas escolher do tamanho certo. Eu segui as orientações e daqui a pouco conto se funcionou.

A encomenda chegou antes do prazo e os três produtos vieram em uma embalagem com três compartimentos. Achei ótimo porque a caixa do produto chega em ótimo estado.

As caixas vieram lacrados e os sapatos embalados com bastante cuidado. Acompanha uma cartilha informativa e uma sacola de flanela. Eu uso muito essas sacolas quando viajo e você também pode usar para guardar seus sapatos, principalmente se precisa empilhar no armário.

A review da bota vai ficar para outro post. Por hora, vou começar com os dois sapatos que comprei.

1. Sapato Social Oxford Cap-Toe Lawn Moss

Sapato Louie Oxford Cap-Toe Lawn Moss

Primeiro vem o Sapato Louie Oxford Cap Toe Moss, um oxford (o que é um oxford?) marrom escuro com sola de couro.

Sem sombra de dúvidas é um clássico. Vamos aos principais pontos:

Design

Sapato Louie Oxford Cap-Toe Lawn Moss

O oxford é um dos sapatos de amarrar mais elegantes que um homem pode ter.

Esse estilo tem uma característica chave: a amarração dos cadarços. Nele, os cadarços passam por perfurações feitas em abas fechadas que são parte do couro que forma a lateral do cadarço.

Repare na foto acima que a aba por onde passam os furos do cadarço só abre na vertical e são presas em baixo, onde a lateral encontra a gáspea na parte de cima do cabedal.

O cap toe é a biqueira, a linha horizontal na frente do sapato. Esse detalhe faz dele um sapato simples e conservador, ideal para usar com um terno corporativo e até mesmo eventos formais.

A Louie tem vários tipos de oxford e este foi o que eu mais gostei. Essa forma tem a ponta redonda, porém um pouco quadrada. É quase um chiseled toe inglês.

O sapato é simples, e por isso muito bonito. É um clássico que está aí a anos justamente porque funciona.

Cabedal

Sapato Louie Oxford Cap-Toe Lawn Moss

O couro é liso e marrom escuro e o sapato é forrado de couro. Essa é a cor mais versátil de um sapato social. Vai bem com terno azul marinho e vai bem com terno cinza, as duas cores que você deveria ter.

É difícil falar sobre o couro sem usar por muito tempo. Só o uso vai mostrar como o material se comporta, mas eu tive a mesma impressão inicial que o vídeo review das botas da Brogan. O couro é bonito, não tem marcas, mas o toque é fraco.

Não é questão de espessura ou rigidez. É difícil explicar sem colocar as mãos. Parece que estou falando mal, mas não estou! Para o Brasil, é um bom couro.

Quanto ao acabamento, impecável. A costura tem bastante pontos por centímetro e estão todos muito bem alinhados.

Construção e acabamento

Sapato Louie Oxford Cap-Toe Lawn Moss

O oxford Louie tem construção blaqueada. É uma costura feita por uma máquina que perfura a sola e une o cabedal, palmilha de montagem e solado. A vantagem é a fixação melhor do que apenas colar, sem tirar a flexibilidade.

A palmilha de conforto é apenas uma meia palmilha, na parte de trás (normal em calçados sociais). Não é uma palmilha muito boa. Eu não senti que deve manter o acolchoado com o tempo.

A palmilha de montagem fica aparente no restante do sapato e ela é de couro. Bem legal. A outra opção muito usada por calçados brasileiros é uma espécie de papelão. Nem preciso falar…

A desvantagem da construção blaqueada nesse caso é que você sente a costura dentro do sapato, já que a palmilha de montagem fica exposta e a costura perfura da sola até o interior (não me incomoda).

A gente fala muito aqui no blog sobre a palmilha de couro se moldar ao pé. Isso acontece quando ela é espessa e couro tem para onde afundar. A palmilha da Louie é bem fina. Eu gostaria que alguém que já usa um sapato a muito tempo comentasse contando se ela ganhou sulcos com o formato dos dedos.

Solado

Sapato Louie Oxford Cap-Toe Lawn Moss

O sapato não tem vira e a sola pré moldada fica bem rente ao cabedal, deixando ele bem elegante.

A sola é de couro. Eu gosto desse tipo de sola para sapatos sociais porque fica bem elegante. Já falei aqui no blog sobre as vantagens e desvantagens das solas de couro e de borracha, vale uma lida!

O salto tem uma borracha antiderrapante na parte de trás. Acho que o meio do salto não é de couro. Parece um material que simula o couro. Geralmente, saltos de couro são formados por várias camadas e no sapato da Louie parece um bloco único.

Olhando por baixo, você vai ver a costura blaqueada que falei. Esses pontos passam até o interior do sapato. Você também vai notar um volume no meio da sola. Eu imagino que seja uma alma de aço, que ajuda na sustentação do seu pé. Faz uma baita diferença no suporte.

Em baixo da sola tem um carimbo de feito à mão. Eis a polêmica do meu outro post sobre a Louie. Olha, eu sei que hoje é difícil definir o que é feito à mão e o que é artesanal, mas na minha opinião esse não é um sapato feito á mão.

Sim, existem processos manuais na fabricação e por trás do produto existem várias pessoas operando as máquinas, mas existe uma enorme distância de artesãos e algumas fábricas que praticamente só usam uma máquina na hora de juntar as partes de couro (que eles cortam com estilete).

Sou mais exigente e considero feito à mão quando a pessoa corta a sola na mão para deixar com o formato do sapato, faz força com o braço para moldar o cabedal, prega o salto camada por camada, e costura a sola com linha e agulha. Deixo aberto os comentários para essa discussão filosófica, rs.

Calce 

Segui a orientação de tamanho do site da Louie e deu certo. Medi meu pé como disseram e mandei ver.

O calce é ok. Eu prefiro calçados goodyear. São mais pesados e um pouco mais duros (no início), mas sinto mais suporte. Sapatos blaqueados com a sola de couro não tem estrutura o suficiente. Ou melhor, ficam num meio termo de tem mas não tem.

Não chegam a ser desconfortáveis, mas eu não conseguiria convencer alguém que um sapato social pode ser confortável usando ele de exemplo.

 

2. Sapato Louie Mocassim Masculino Gorm Café

Sapato Louie Mocassim Masculino Gorm Café

Vamos ao segundo sapato. Do mais formal, para um dos mais casuais!

Agora é o Louie Mocassim Gorm Café, um sapato sem cadarços conhecido como penny loafer! Um detalhe legal do site da Louie é que você pode filtrar por estilo. Coloca o filtro de “Loafer” que você vê tudo sem cadarço.

Eu escolhi esse porque gostei da forma baixa e desestruturada. É bem italiano e me lembrou uma versão super cara e ainda mais desestruturada que o Christian Kimber está vendendo.

Vamos aos detalhes!

Design

Sapato Louie Mocassim Masculino Gorm Café

Esse é um loafer. Um penny loafer para ser mais específico. O modelo foi criado pela Bass, inspirada por um sapato usado por pescadores noruegueses.

Chegou aos EUA com o nome de Weejuns, uma corruptela de norwegians. A Bass colocou uma tira de couro em formato de um lábio na parte superior para representar “um beijo de John Bass em cada par que saia da fábrica”.

O sapato ficou conhecido como penny loafer por causa do costume de inserir uma moeda no losango dessa tira. A moedinha quebrou o galho muita gente na hora do aperto.

O formato do sapato pode variar, mas a característica marcante é essa tira em cima. Essa opção da louie tem o bico bem baixo, um pouco alongado, e é totalmente desestruturado. Super casual para você vestir como se fosse uma pantufa.

Bem bonito!

Cabedal

Sapato Louie Mocassim Masculino Gorm Café

O cabedal desse mocassim é de couro marrom escuro com uma textura granulada. É bem agradável de calçar.

Eu até achei mais firme do que o couro do sapato. Sim, é maleável e bem macio, mas senti um pouco mais de consistência. O sapato só é forrado na parte da frente. A ideia é deixar ele bem leve e desestruturado.

O acabamento do cabedal é muito bom mas eu reparei um detalhe. Olhe como na parte de dentro tem uma costura na lateral. Pode ser uma decisão estética ou para facilitar a costura do forro, mas o modelo da Alden com a mesma proposta é feito com menos costuras. Isso quer dizer que os pedaços de couro são maiores e pode indicar diferentes estratégias de aproveitamento das peles.

Construção e Sola

Sapato Louie Mocassim Masculino Gorm Café

A sola do penny loafer Louie é de couro e bem fina. A idéia é essa mesmo, um sapato mais pé no chão e flexível. Ela tem umas ranhuras na frente. Eu acho que servem para derrapar menos mas não sei se funciona.

Sola de couro é assim mesmo, escorrega um pouco no começo e depois fica ok. Pra minimizar um pouco, tem uma borracha na parte de trás do salto, que eu acho que não é totalmente de couro.

Na minha opinião é nesse tipo de sapato que a construção blaqueada brilha. Ele tem pouca estrutura, já que a ideia é flexibilidade. O sapato tem uma palmilha de espuma forrada de couro cobrindo toda a base. Acho que não aguenta ficar macia por muito tempo. Sabe o All Star, que depois de um tempo parece que nem tem mais palmilha?

Calce 

Dessa vez a orientação da Louie não foi certeira. Eu teria pego um número menor do que escolhi! Mesmo sem meia, o sapato ficou justíssimo. Com meia, não poderia usar.

O calce é bem pé no chão. O sapato é macio, cabedal flexível, bem gostoso. A palmilha não faz muita diferença no longo prazo.

Conclusão

Veredito final? Um ótimo oxford e uma excelente opção casual. Os dois sapatos são uma excelente opção pra comprar no Brasil.

O oxford é o melhor nesse estilo que eu já vi por aqui, tanto em beleza quanto em qualidade. O visual é clássico, e se ele durar, você não precisa de outro sapato social por um bom tempo.

O mocassim casual também é muito legal. Gostei bastante do formato do sapato no pé e fica razoavelmente confortável sem meia, do jeito que eu usaria. Uma boa ideia agora para o calor, com uma calça de linho.

Pra quem tem a possibilidade de viajar e comprar fora do país, existem algumas marcas na mesma faixa de preço que eu recomendaria. Mas aqui dentro? Pega um sapato da Louie. O material poderia ser melhor, mas eles tem um design bonito, proporções clássicas, preço justo e um ótimo atendimento.

É isso aí! Essa foi o meu unboxing dos sapatos da Louie. Compartilhe a dica se gostou, e deixe nos comentários qual produto nacional você quer ver na próxima review!

Huberds Shoe Oil

 

Você também pode gostar

6 Comentários

  • Responder
    Mourac
    23/10/2017 at 12:42

    Primeiro, parabéns pela escolha dos sapatos. Eu tenho esse oxford e estou doido pra comprar esse Loafer haahhaah. Particularmente, sou um fã da Louie, embora teça as mesmas considerações que você fez na outra postagem acerca do marketing da marca. Mas adiciono um outro fator que me parece um diferencial. Se você abrir hoje o site da Sergio’s, por exemplo, verá que a maioria dos modelos é de gosto, no mínimo, duvidoso. A nova coleção deles ganha muito nesse aspecto, acho que houve uma mudança positiva, que me parece que veio acompanhada de um aumento considerável de preços, hoje muito próximos da Louie. Esse problema quase não acontece com a Louie. Os modelos são de muito bom gosto, e, apesar de haver uma enorme subjetividade nisso, percebo que a maioria dos meus amigos usuários da marca tem a mesma opinião. No que diz respeito à palmilha se moldar ao pé, tenho um modelo derby de camurça dele que uso Há cerca de um ano e meio e está bem macio e moldado ao meu pé.

    • Lucas Azevedo
      Responder
      Lucas Azevedo
      23/10/2017 at 14:08

      Concordo. Apesar da “base” teoricamente estar disponível para todos, fazer o simples é o mais difícil. As escolhas de modelos e os desenhos da Louie são de muito bom gosto. Como um todo, o discurso da marca é muito bem alinhado, e esse alinhamento permite trabalhar esses modelos para a audiência certa. Obrigado pelo comentário, Mourac!

  • Responder
    Mourac
    23/10/2017 at 17:38

    Alias, aproveitando a oportunidade, recentemente descobri outra marca brasileira, de muito bom gosto, que supostamente usa construção goodeyear welted. Chama-se Wolken Shoes, não sei se você conhece. É de SP, e a loja fica em Pinheiros. Esse final de semana estarei por lá e vou tentar visitar a loja.

    • Lucas Azevedo
      Responder
      Lucas Azevedo
      23/10/2017 at 21:17

      Depois me conta. Pelas fotos eu não achei muito bonitos. Não parecem ser goodyear welted e não fala nada no site deles sobre fabricação.

      Eu corri atrás da sua dica e li algumas reportagens sobre a história da marca. Confesso que estou muito cético. São reportagens antigas e a proposta pode ter mudado, mas me parece um caso publicitário. Veja esse trecho:

      “Foi assim que nasceu em 2012 a Wolken Shoes, feita no Brasil com técnica manual de costura e montagem chamada Goodyear Welted, onde as máquinas têm um papel secundário.””

      Goodyear Welted não é uma técnica de costura e montagem manual. Pelo contrário, é totalmente feito por uma máquina. O nome do processo vem justamente do nome da máquina: Goodyear Welting Machine.

      Na mesma reportagem o blogueiro diz:

      “Vale checar também a Louie, do casal hispano-brasileiro Adolfo e Lívia, que fazem juntos desde o primeiro desenho até a última costura. ”

      Obviamente, a Livia e o Adolfo não costuram os sapatos. No site deles, em nenhum momento eles dizem se envolver nas etapas de produção.

      Acho que não dá para confiar no que essas reportagens estão falando. Vou conferir diretamente com eles!

      Temos sempre que pesquisar e perguntar. As marcas de hoje tem muita história mas pouca coisa para mostrar. Elas falam de todo seu processo diferenciado mas dificilmente você vê alguma coisa dos bastidores.

  • Responder
    Gabriel
    02/11/2017 at 20:21

    Olá, tenho uma bota Chelsea da Louie há cerca de um ano, não tenho que reclamar em termos de durabilidade e resistência. Exceto pela camurça que qualquer aguinha que pega já mancha e isso é um pouco irritante às vezes. Gostaria de fazer uma pergunta um pouco fora do post. Onde posso conseguir esse tipo de calça das fotos com essa espécie de dobra na frente ou ” pleat”? Tem em alguma loja ou só com alfaiate mesmo?não consigo achar…

    • Lucas Azevedo
      Responder
      Lucas Azevedo
      03/11/2017 at 14:36

      Oi Gabriel, tudo joia?

      As calças na foto não tem pleats. O vinco na frente é na hora de passar e pendurar. Fica mais fácil de visualizar nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=Lhuhb2KNqVM

      Na hora de colocar no cabide, eu dobro que nem os desenhos de cima dessa imagem: http://workpulse.io/blog/wp-content/uploads/2015/05/dress-pant-fold.jpg

      Tenta no lugar mais antiquado que você conseguir pensar que vai ser a maior chance. Mesmo la fora é difícil achar a combinação cintura alta + preta + perna reta/slim, o que é uma pena… eu gosto muito! As revistas e blogs de moda passaram anos e anos dizendo que pregas estão por fora e como a maioria das lojas trabalha com o que é tendência, acabaram aderindo a tendência skinny.

      Abs!

Deixe uma Resposta