Mel’s Drive-In e American Graffiti: Uma breve história sobre os Diners

Restaurantes norte-americanos estilo drive-In dão as caras em qualquer conversa sobre o retrô anos 1950. Para muitos, como eu, que vivem fora dos Estados Unidos, o filme American Graffitti é uma das imagens mais famosas do que eram essas lanchonetes. A trama do filme acontece no Mel´s Drive-In, o ponto de partida para várias aventuras de um grupo de adolescentes americanos. Neste post, vamos explorar a história dessa icônica lanchonete.

Buco: As jaquetas de couro mais icônicas de todos os tempos

A Buco foi fundada em Detroit, em 1933. A marca se especializou em acessórios para motocicletas, e nas décadas de 1940 e 1950 produziu jaquetas em couro de cavalo de alta qualidade, que até hoje são algumas das mais aclamadas jaquetas de couro para motociclistas.

Neste post você confere um pouco sobre o legado da marca e tem a oportunidade de conhecer suas jaquetas icônicas, que em suas versões originais, são sem sombra de dúvida as mais procuradas por colecionadores.

Relógios antigos que eu gostaria de ter!

Eu não sou um colecionador, mas sempre achei que relógios antigos tem um certo charme, mesmo os mais baratos. Depende do seu gosto, mas eu gosto dos relógios com cristais em cúpula. Não sei se é este o nome técnico, mas nestes relógios o cristal forma uma redoma e não é plano em relação ao bisel. Também gosto de relógios únicos e excêntricos como os relógios masculinos futuristas dos anos 1960 e dos militares, de marcas que não existem mais. Gosto de ler sobre a história deles e imaginar como eram as pessoas que usaram.

Tenho apenas dois relógios antigos, mas para mim, é tudo uma questão de jornada. Eu não sei quantas vezes entrei em um antiquário ou rodei por uma feira, gastando o tempo dos vendedores com perguntas enquanto inspecionava as coleções de relógio. A Internet revolucionou o mercado de qualquer colecionável, tornando tudo muito mais acessível, mas isso não diminuiu a emoção da perseguição.

Tem algo sobre relógios antigos que acho romântico. Mesmo sem nenhuma conexão pessoal lá, eu adoro os diferentes designs, que capturam a beleza de diferentes períodos, como do Art Déco ou o espírito fabuloso dos anos 1950. Hoje, todas as marcas estão tentando capturar um pouco desse apelo com suas intermináveis reinterpretações. Então, por que comprar uma cópia quando, com um pouco de trabalho de detetive, você pode comprar o original?

Ter um grande saldo bancário nem sempre garante a parte final deste quebra-caveça. Conversando com algumas pessoas que tem mais relógios em sua coleção, como o Victor Collor, percebo que ainda é preciso fazer o trabalho braçal. Colecionadores estão sempre procurando, e você nunca sabe quando o relógio certo vai aparecer. Não é qualquer um que pode pagar por um Paul Newman ou um Patek vintage, mas existem outros maravilhosos relógios por aí!

Neste post, vou compartilhar alguns relógios que eu sou doido para ter em minha – imaginária – coleção. Quando você terminar de conferir, me conta quais são os relógios que estão na sua lista!

Canetas esferográficas: 5 excelentes e maravilhosos objetos de escrever!

A escrita foi sem dúvida uma das mais importantes descobertas da história, permitindo a comunicação à distância, assinatura de documentos,, registro de momentos históricos e difusão do conhecimento geral. E não podemos falar de escrita sem falar de canetas.

Canetas são pequenos objetos, que já foram de maior importância para o nosso dia a dia, mesmo que, à primeira vista, pareçam simples. Mesmo com os smartphones e computadores, ela ainda tem o seu lugar, desde simples anotações em post-its a autógrafos, da criação de um romance àquele recadinho carinhoso na porta da geladeira.

Rocky Mountain Featherbed: Antiga marca de Wyoming que fabrica agasalhos para cowboys, agora propriedade japonesa. Faz sentido?

Escutamos poucas coisas positivas sobre a moda masculina na década de 1970. Se anos 1930 foram a era de ouro da elegância, e a década de 1950 trouxe os clássicos casuais, os anos 70 são lembrados pelo exagero caracterizado por camisas justas, calças boca de cino e uma enxurrada de materiais sintéticos.

Mas nem tudo foi tão horrível. Em que outra década vimos tantos blazers esportivos em veludo cotelê e jaquetas com golas de ovelha? Muitas marcas estavam produzindo roupas chamativas, inspiradas pelo movimento disco, mas também haviam aquelas trabalhando com opções mais simples, com um charme robusto. Os anos 70 tem inpirações incríveis para o estilo workwear, por exemplo.

Uma destas marcas icônicas da década de 1970 é a Rocky Mountain Featherbed. Fundada no Wyoming – o estado cowboy – por Francis “Cub” Schaefer, a RMFB se especializou em agasalhos com design estilo western e enchimento feito de plumas.

Penny Loafer Masculino: Dicas de como usar e onde comprar no Brasil

O tipo de sapato masculino que tenho usado com mais frequência é o penny loafer. O que torna este calçado único, é a tira de couro sobre a parte superior do cabedal, normalmente com um corte em formato de diamante no centro. Este detalhe foi apenas um recurso de design, mas ele veio a calhar anos depois, quando o apelido “penny loafer” surgiu.

Se você ainda não tem um penny loafers, já passou da hora de incluir um em sua coleção. Esses sapatos, que já eram clássicos muito versáteis, se tornaram ainda mais companheiros neste novo normal, onde recomenda-se remover os sapatos em casa. Eles podem ser facilmente usados em ambientes casuais e também nos momentos onde você precisa estar mais bem vestido.