Bota Dr. Martens Masculina: COMO usar e ONDE comprar no Brasil

Powered by Rock Convert

A história da bota Dr. Martens é cheia de surpresas, mas o apelo utilitário e atitude sempre estiveram presentes. Ao longo dos anos, essas botas de trabalho foram transformadas em umas das botas mais emblemáticas e famosas do mundo. Como foi que isso aconteceu?

Um homem entrou numa loja Inglesa em 1967, comprou um macacão azul escuro e viu uma bota com sola de borracha. Se ele estivesse olhando para o outro lado, talvez não encontrasse o coturno que mudaria o futuro de milhares de pessoas: a bota Dr. Martens.

O ano de 1967 ficou conhecido como o Verão do Amor, um fenômeno social com manifestações em várias partes do mundo. O homem na loja era ninguém menos do que Pete Townshend, líder do The Who, uma das personalidades mais influentes da época (e na história do rock). Aquela bota masculina que ele comprou, estava prestes pisar nos maiores palcos do mundo.

E foi assim, de repente, que um uniforme de trabalho virou um símbolo de estilo. A fama atual da Dr Martens, começou entre os primeiros grupos jovens de sub-culturas inglesas que defendiam o orgulho da classe trabalhadora, e foi impulsionada pelos holofotes dos festivais.

Desde então, a música sempre esteve ligada a marca e seus clássicos, que calçaram os pés de estrelas de vários gêneros musicais. É por isso, que existe infinitas maneiras de usar uma Doc Martens com estilo. Eu vou te mostrar as minhas favoritas, logo abaixo.

É claro que para calçar, tem que comprar. Fica tranquilo porque o post termina com uma lista de opções para você adquirir a sua.

Bora lá?

A História da bota Dr. Martens

Dr Klauss Marten na fábrica Griggs & Co

Dr. Klauss Martens na fábrica Griggs & Co

Apesar da estreia no show-biz ter acontecido ao final dos anos 60, a Dr. Martens começou na década de 1940, desenvolvida por um médico chamado Klaus Maertens.

Munique pós Segunda-Guerra. O Dr. Klaus Maertens, então com os seus 25 anos, se recuperava de um pé quebrado e criou uma sola com amortecimento aerado (no lugar da tradicional sola de couro) para ajudar na recuperação.

Com uma forma de sapateiro improvisada, ele criou um protótipo e mostrou para um antigo amigo da universidade, o engenheiro mecânico Dr. Herbert Funk. Usando material reciclado e excedentes de guerra, os dois desenvolveram uma técnica que permitiu selar o cabedal e a sola com calor. O processo cria compartimentos de ar bem para amortecer o pé.

Os dois firmaram uma parceria e para produzir esses sapatos exclusivos, vendendo de porta em porta. A produção formal começou em 1947 e o timing foi perfeito. A Europa pós-guerra havia acabado de passar cinco anos com botas nos pés. Conforto era a palavra de ordem.

Como o design da Doc Martens virou o que é hoje?

Coturnos Doctor Martens

Em 1952, os negócios na Alemanha iam tão bem que, após anos fazendo tudo em uma cabana, os sócios abriram uma fábrica em Munique. Em 1959, eles decidiram que era hora de divulgar sua invenção revolucionária em revistas no exterior.

Agora, voltaremos no tempo para 1901 para encontrar outra peça importante na história da Dr. Martens. A família Griggs, de uma pequena cidade na Inglaterra, era conhecida por fabricar excelentes botas. Nos anos 50, a fábrica Griggs era administrada pela terceira geração da família. Bill, e seus irmãos Ray, Colin e filho Max, cuidavam dos negócios.

O que acontece agora, é quase coincidência.

Enquanto folheava uma revista especializada em calçados, o Bill bateu de frente com o anúncio de uma sola com amortecimento aerado feita na Alemanha. A Griggs logo adquiriu a licença para produção exclusiva.

O produto passou por algumas mudanças importantes na Inglaterra, como um design novo para o salto, cabedal mais alto e simples, a costura amarela, sulcos na borda da sola e um desenho exclusivo no solado. As botas eram marcadas com ‘Airwair’ e ganharam um puxador preto e amarelo com o slogan “With Bouncing Soles”.

No dia 1º de abril de 1960, nasceu a bota Dr. Martens 1460. Fruto de uma parceria entre antigos inimigos, amigos no novo mundo pós-guerra. Colaboração entre a tecnologia alemã e a tradição calçadista inglesa.

A Evolução da Dr Martens na moda: Subcultura Britânica na Década de 1960

Dr Martens Skinheads originais na década de 70

Dr Martens Skinheads originais na década de 70

A década de 1960 – em que a bota do Dr. Martens nasceu – viu uma onda de mudança sem precedentes. Novas idéias, agitação cultural e, eventualmente, revolução social. Esta atmosfera radical também trouxe uma moda extravagante, muitas vezes exótica. É um cenário estranho para o nascimento de uma bota de trabalho tão funcional.

Inicialmente calçada por carteiros e trabalhadores de fábricas, a Dr. Martens passou os seus primeiros anos como uma bota de trabalho vendida por $2 para as classes trabalhadoras da Grã-Bretanha. Desde o começo a Dr. Martens foi um sucesso entre os homens e as mulheres. As donas de casa e os trabalhadores industriais estavam acostumados a trabalhar com sapatos duros e desconfortáveis. Eles receberam o solado Air Way de braços abertos.

Então, algo incrível começou a acontecer. Este grupo de clientes foi acompanhado por rejeitados, párias, e todo tipo de rebeldes excluido das camadas superiores da sociedade. Eles adotaram a bota como um símbolo da classe trabalhadora, talvez representando o otimismo da reconstrução pós-guerra.

Sem qualquer ação de marketing ou intenção, a Dr. Martens foi repentinamente adotada pelos primeiros skinheads multi-culturais amantes de ska, que defendiam orgulhosamente o estilo da classe trabalhadora britânica antes do movimento ser sequestrado por forças racistas.

Pete Townshend The Who com Bota Dr Martens

Pete Townshend do The Who, com suas botas Dr Martens 

Pouco depois, Pete Townshend, do The Who, tornou-se a primeira celebridade com muita visibilidade a calça-las como um símbolo de seu próprio orgulho da classe trabalhadora e também de uma atitude rebelde. Os skinheads da primeira geração e Townshend alteraram o curso da marca, transformando o estilo funcional para trabalho em uma subcultura de atitude.

Os skinheads e Townshend foram os primeiros, mas em quem você pensaria se te pedissem para fazer uma lista de quem usava Dr. Martens? Sua resposta vai depender da década de sua adolescência e que tipo de música você escutava.

Como a Dr Martens virou um símbolo universal: Anos 70 e os festivais dos anos 90

Doctor Martens 1979

Adolescentes em Belfast, 1979

Nascido em 1965, o fotógrafo Gavin Watson foi uma testemunha chave do movimento. Ele comprou seu primeiro par de Dr. Martens aos 12 anos de idade e as fotografias que ele tirou no início dos anos 70 tornaram-se representações icônicas da subcultura skinhead.

O modo como cortavam o couro na frente para revelar os bicos de aço, as botas eram vistas como armas e você se sentia seguro vestindo elas. Você tinha que batizá-las chutando alguém. Não importava quem, se você tivesse um pouco de sangue manchando as botas, ainda melhor. Ironicamente, as fotografias dos grupos que se chocaram com a polícia em 1982 mostram ambos os lados usam as mesmas botas.  A atitude agressiva da bota proporcionava força e confiança para todos os que as usavam.

Talvez tenha sido esse elemento o principal responsável por democratizar a Dr. Martens. Como Townshend cantou em Uniforms:

“It don’t matter where you’re from, what matters is your uniform. Wear your braces ’round your seat, Dr. Martens on your feet.”

Dr Martens Billy Bragg e Tonny Benn

O músico Billy Bragg ao lado do político Tonny Benn, que calçava Dr Martens como símbolo de seu apoio pela classe trabalhadora. Foto de 1984.

O fascínio do perigo apenas aumentou o encanto da bota, e com a medida que a música da Inglaterra ia se espalhando pelo mundo, junto ia a ideologia do sapato. Eles tinham a credibilidade da classe trabalhadora e um orgulho patriótico (um pouco errado) britânico. O político trabalhista Tony Benn adotou a bota para expressar solidariedade com as classes trabalhadoras, e bandas de alto nível como The Who, The Clash, The Specials e The Stranglers inspiraram seus fãs a seguir o exemplo.

Viv Albertine of the Slits, talvez a primeira mulher a usar a bota tradicionalmente masculina com um vestido, foi outra que quebrou normas. A aparição de Elton John em 1975 na ópera rock Tommy com Doc Martens gigantes firmou ainda mais o lugar da bota na cultura pop, um lugar de onde ela nunca mais saiu.

A banda two tone The Specials, em 1979

A banda two tone The Specials, em 1979

A década de  1970, foi a era do glam, do punk, do Two Tone e do início do movimento gótico. A juventude britânica se dividiu em inúmeras tribos distintas, cada uma com seu estilo e gosto musical. Grandes grupos do underground “anti-establishment” continuaram defendendo a Dr. Martens, e cada nova tribo que começava a calçar a bota como uniforme procurava subverter o estilo dos usuários anteriores.

No final da década, a bota se tornou um símbolo forte de auto-expressão no coração da cultura juvenil britânica e foi adotada praticamente toda subcultura.

Já na década de 80, com a Grã-Bretanha atormentada por conflitos anti-governamentais e ressentimento social, a cultura jovem tomou as ruas com tribos ainda distintas, altamente visuais e individuais, como psychobilly, grebo e scooter boys.

Jovens Punks na década de 80

Jovens Punks na década de 80

Joe Strummer, do The Clash, na década de 1980

Joe Strummer, do The Clash, na década de 1980

Dr Martens Punk anos 80

Retrato da juventude punk na Inglaterra dos anos 80

Triumph Boneville e Dr Martens em 1979

JJ Brunel com sua Triumph Boneville e Dr Martens em 1979

Doctor Martens e Jaquetas Harrington

Doctor Martens e Jaquetas Harrington nos dois garotos em 1979

As vendas de botas para homens com tamanhos menores alertaram a Dr. Martens para o fato de que elas estavam virando uma tendência de rua para meninas que compravam o coturno básico para personalizar (geralmente com florais). Enquanto isso, os músicos do Hardcore americano que viajavam pelo Reino Unido começaram a levar pares de DM de volta para casa, iniciando a adoção da marca pela subcultura americana.

Na década de 90 o Grunge transformou o mundo da música e levou a Dr. Martens junto. De volta à Grã-Bretanha, o Britpop se rebelou contra a “apatia do filho perdedor” nas mesmas botas, a 1460.

O surgimento do nu-metal, o princípio do emo e muitos outro novos gêneros musicais tornou a marca Dr Martens um sinônimo da cultura do festival. Se você era um adolescente nos anos 90 é bem provável que essa imagem lhe venha à cabeça:

Dr. Martens nos anos 90: Ethan Hawke e Winona Ryder

Como usar a bota Dr Martens?

A bota Doctor Martens hoje superou as associações mais negativas com os hooligans do futebol e os fascistas. Hoje, são calçados perfeitos para fazer coisas. O conceito de auto-expressão e rebelião ainda é o cerne da da marca, e o grande apelo dos DMs é que eles são o que são. Você os usa como quiser. Você faz dela o que quiser. Elas simplesmente mudam com a moda à medida que a moda muda.

Por isso, com uma enorme gama de produtos em inumeras cores, a Dr. Martens está nos pés de várias personalidades e também em várias tribos. Você realmente pode incorporar em qualquer estilo, desde que goste da aparência das botas. Por serem extremamente marcantes, conseguem transformar qualquer visual.

Acho que as fotos acimas, de épocas passadas, servem de grande inspiração. Em sua essência, a marca está totalmente vinculada à música. Sem a música, e as subculturas que existem ao redor dos gêneros musicais, ela seria apenas mais uma bota de trabalho.

Hoje, essa definição de subculturas e estilos por grupos musicais quase não existe. Tudo está meio misturado, mas se você levanta a bandeira de um gênero,  a melhor inspiração para você usar a bota é procurar ícones das suas bandas favoritas, principalmente os pioneiros, porque eles provavelmente são excelentes referências para o seu estilo.

Abaixo separei algumas fotos mais atuais pra inspirar vocês em como usar as botas ou coturnos Masculinos da Dr. Martens. Nada sofisticados, mas que vão bem do jeito que você quiser se a sua atitude aguentar o peso dessas botas de trabalho.

Bota Doctor Martens Vermelha

Como usar bota Doctor Martens retrô

Como usar bota Doctor Martens retrô

Bota Doctor Martens Monkey Boot

Bota Doctor Martens Barber Shop

Sapato Doctor Martens

Nick Wooster Bota Doctor Martens Preta

David Beckham Bota Dr Martens

Sapato Doctor Martens com terno

Ryan Gosling de Bota Doctor Martens

Eu também gosto bastante de como essas  meninas usam. Acho que a combinação de cores, jaquetas e silhuetas também podem ser aplicadas por nós homens:

Como usar Botas Dr Martens

Como usar Botas Dr Martens

Como usar Botas Dr Martens

Como usar Botas Dr Martens

Onde comprar botas Dr Martens?

A marca inglesa não tem um ponto fixo no Brasil. As botas, sapatos e coturnos fazem muito sucesso entre os fãs do punk, rock ou mesmo quem curte o estilo militarismo mas as versões originais da empresa ainda estão um pouco fora do nosso alcance.

Felizmente existem as lojas online, ou seja, compre pela internet e chega na sua casa. Tem a Farfetch, que já inclui em seus preços todas as taxas de importação. Você também pode procurar no Enjoei, Mercado Livre e na OLX por produtos novos e usados.

A primeira parada para encomendar uma original de fora é a Dr. Martens USA, a loja virtual da marca nos Estados Unidos que também faz envio internacionais.

No exterior, você também pode apostar na Asos, loja online Britânica bem confiável que entrega para o Brasil com frete Grátis. Outras duas apostas confiáveis são a Zappos e a Amazon. São os melhor e maiores sites internacionais para se comprar qualquer coisa (no caso da Zappos, calçados). O único problema é que, assim como a Farfetch, essas lojas possuem um sistema próprio de cobrança de taxas alfandegárias. O site manda um e-mail comunicando o valor do imposto e você precisa pagar o boleto para que o produto seja despachado.

Se tiver mais facilidade para comprar pela internet, eu recomendo pesquisar lojas menores. Fuja de grandes e-commerces e busque o produto em varejos independentes, onde você tem mais acesso ao atendimento para combinar o envio. O mais bacana é que essas lojas costumam ter colaborações especiais que forçam ainda mais os limites visuais da marca.

Onde comprar Dr Martens no Brasil?

Infelizmente, um revendedor oficial não existe (até onde eu sei).

No Brasil, a Cravo & Canela faz versões em numerações feminias que são cópias quase perfeitas do original. Eles vendem em várias lojas multi-marca mas eu recomendo comprar direto da loja online da própria marca. Teóricamente, assim você está beneficiando mais os produtores.

Outra marca que já falei por aqui, a Slum Brand, também tem uma réplica bastante fiel em numerações masculinas. Tem outras versões no mercado mas elas não replicam o estilo da Dr. Martens.

Falando bem sinceramente, a bota Dr Martens atual não é lá grandes coisas em termos de fabricação. Sim, ela é um tanque, mas o couro muitas vezes é sintético e a sola é facilmente replicada. Essas marcas Brasileiras até que fazem versões bem legais.

Dica Bonus!

Se você quer comprar uma Dr. Martens padrão das antigas, eu recomendo a linha feita na Inglaterra ou então ir atrás da fábrica original, a Solovair. Como assim?

Na década de 2000, se não me engano, a Dr Martens quase faliu e mudou toda sua operação para a Ásia. A parceria com as fábricas inglesas originais foi encerrada, masum parceirão de longa data seguiu produzindo. A Solovair, se não me engano, pertence diretamente a linhagem Griggs. Eles ainda vendem os coturnos no padrão original, que tem algumas ligeiras diferenças. Pelo que eu li, a qualidade parece ser ligeiramente melhor do que as Dr. Martens da linha feita na Inglaterra.

Espero que tenha gostado! A Doc é realmente uma bota democratica e existem várias maneiras de usar que fogem do clichê das combinações que reinam hoje. Não é fácil nem barato comprar uma original no Brasil, mas existem maneiras de conseguir uma bota de fora e os brechós são sempre uma boa opção. Na falta de ideias, vale sempre olhar produtos parecidos no Brasil, já que qualquer ícone tem as suas cópias.

banner-loja-geralPowered by Rock Convert
Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo
Apaixonado por experiência do cliente, varejo e produtos. Criei o Só Queria Ter Um para compartilhar minhas experiências com botas, raw denim e vintage!