Calça Lee: Onde encontrar os clássicos jeans Lee?

calça jeans lee
Powered by Rock Convert

O denim pode ter surgido na França, mas sua história pertence a três empresas americanas em especial: a Levi’s, Lee e Wrangler. Juntas, eles inventaram jeans moderno.

Ao longo de mais de 100 anos, foram responsáveis pela transformação do workwear em artigos que definem juventude, lazer e moda. Com força global da Levi’s com as excelentes Levi’s Vintage Clothing e Made & Crafted, a gente acaba esquecendo desse outro gigante no mundo dos jeans que é a Lee.

O início dessa história começa com demarcação de territórios e tentativas de dominar mercados distintos. Antes da explosão do jeanswear, a Lee, Levi’s e a Wrangler eram as grandes três marcas, cada qual com o seu cliente fiel.

Como foi o início da Lee?

lee workwear

Henry David Lee, um comerciante de querosene e conservas do Kansas, começou a vender roupas de trabalho produzidas por outros fabricantes. Tinha um mercado específico em mente.

A Levi’s já havia cercado o segmento da mineração (conheça a história da Levi’s). Ao fim da corrida do ouro, ela começou a flertar com cowboys e fazendeiros. Lee enxergou a oportunidade de servir trabalhadores em uma nação recentemente industrializada.

Para aumentar a margem e resolver alguns problemas de qualidade com fornecedores, ele começou a fazer o próprio produto. O primeiro que ele desenvolveu foi o Lee Union-All. Esse macacão jeans foi lançado em 1913 e rapidamente adotado por operários e mecânicos.

macacão lee union alls

Acompanhando novos tempos, Lee sempre buscava inovações progressivas. Entre elas:

  • O jelt denim retorcido, mais resistente, em 1925
  • As primeiras calças jeans com zíper, no ano seguinte
  • Os primeiros, entre as três grandes, a anunciar o denim sanforizado

O posicionamento diferente dividiu geograficamente o público dos Srs. Levi e Lee. Um na costa oeste,  e outro na costa leste. Os territórios eram tão controlados que em 1954, quando a Levi’s começou a vender o jeans 501 na “east coast“, ela foi forçada a lançar uma versão com zíper porque o mercado não estavam acostumado com fecho de botão.

Os produtos clássicos da Lee

jaqueta lee storm rider

Essa atitude proprietária ajudou na criação de vários ícones, que até hoje tem seu lugar na moda e são exaustivamente replicados.

A Levi’s tinha sua calça 501, e Lee seu jeans 101.  A Levi’s começou com as jaquetas Type I e Type II. A Lee, tinha sua jaqueta Storm Rider 101J, forrada com manta e jaquetas Loco, para trabalhadores da indústria pesada.

A Lee 101 dos anos 30 é um dos casacos jeans mais bonitos que existem. O lançamento da Levi’s Type III (jaqueta trucker) foi uma resposta direta a novas versões 101J com corte slim.

Jaqueta Lee-101j 1930

Jaqueta Lee-101j 1930

 

Paul Newman com uma Lee Stormrider em Hud

Paul Newman com uma Lee Stormrider em Hud

jeans lee história

Boneco Buddy LeeCada mercado era relativamente leal às marcas, mas a competição intensa estimulava ações de branding e divulgação. Em 1920, a Lee criou o Buddy Lee, um boneco vestida com mini macacões e distribuiu para seus revendedores. Hoje, é um dos colecionáveis mais desejados pelos amantes do selvedge denim.

Foi essa disputa que levou a Levi’s a color a famosa Red Tag no bolso, em 1936, quando descobriram que o arcuate era agressivamente copiado. A Lee vinha usando o mesmo estilo de costura no bolso desde 1926, e só foi forçada a utiliza o “Lazy S” quando a costura arqueada foi registrada pela Levi’s, em 1943.

Como o jeans Lee chegou onde está hoje?

james dean giant

James Dean em Giant, vestiu uma calça Lee

Para entender a calça jeans hoje temos que falar do fim da Segunda Guerra Mundial, marco que anunciou uma nova era as marcas de jeans. Essa virada foi começo da transição para o guarda-roupa casual.

O excedente de calças jeans baratas depois da guerra transformou a peça em um item básico para uma população que enfrentou racionamento por vários anos, mesmo que estivessem prestes a entrar no maior boom de consumo da história.

Apesar de mais popular, o jeans ainda gerava suspeitas no establishment conservador justamente por estar associado ao trabalho braçal e a essa escassez pós-guerra. Elvis é um excelente exemplo. Ele se recusou a usar jeans fora de ações promocionais, porque os via como símbolo da pobreza que passou na infância.

A nova cultura jovem, aos poucos se desligava dessa visão, à medida que a moda masculina ia quebrando conceitos de classe, mas levou quase uma década para essa ideia ser realmente aceita. Foram Marlon Brando em The Wild One e James Dean em Giant, filmes lançados em 1954 e 1956, que criaram um novo mundo para a Levi’s, Lee e Wrangler.

Uma enorme mudança de paradigma.

Do trabalho para seus momentos de lazer

historia da lee

Seguindo a onda do mercado, o slogan original da Lee, “os jeans que construíram a América“, foi substituído por “roupas confortáveis para o trabalho e o lazer“. Olha a comparação, acima e a comparação abaixo:

história da lee

Eu associo a Wrangler com a idéia do cowboy americano. A Levi’s, vejo como marca que fez a transição do trabalho pesado para o urbano com uma atitude transgressora. A Lee ficou no meio do caminho, sem uma identidade muito forte.

A marca cresceu muito nos anos 50 e 60 até ser comprada pela VF Corporation em 1969. Esse talvez seja uma das principais diferenças na percepção que o mercado tem da marca em relação à Levi’s.

A VF Corporation é uma potência do vestuário, dona de marcas como a Vans, Timberland, North Face, Wrangler, Lee e Dickies. Eles tem 24 fábricas em todo o mundo e cerca de 60.000 funcionários.

A importância do vínculo com o passado

Em 1995, a Lee terminou de transferir sua produção para a China, embora tenha uma linha premium que é feita nos EUA, Europa e Japão. É claro que a linha premium é feita com denims japoneses e italianos de maior qualidade, mas o que esse colosso empresarial significa para o nicho heritage é fácil de compreender.

Com tantos funcionários, tantas fábricas, uma organização tão enorme e tantos interesses de capital, fica mais difícil aceitar que tudo é feito eticamente, sempre. Talvez por isso, o valor que os clientes enxergam nos produtos vintage da Lee não são transferidos com tanta força para sua linha retrô.

É nítido que esse mercado praticamente descarta a Levi’s normal, assim como o faz com a Lee regular que é vendida no Wallmart. Esse tipo de cliente tem um certo apego pela linha Levi’s Vintage Clothing,  talvez pelo antigo compromisso com a última fábrica de jeans dos Estados Unidos (que fechou esse ano).

Mesmo assim, a credibilidade Levi’s entre os mais exigentes não chega perto do prestígio que tem outras marcas de jeans menores. E no caso da Lee que pertence a uma mega corporação?

Eu acredito que essa falta de um vínculo físico com seu legado, manteve a Lee um pouco de fora desse nicho, pelo menos nos Estados Unidos. Essa, na minha opinião, é a razão pela qual a linha retrô da marca não conta com a mesma força.

O que é a linha Lee 101?

jeans lee

A linha especial da Lee se chama Lee 101. Não é bem uma versão heritage, focada em vasculhar os arquivos. É mais uma pequena cápsula de produtos feitos com tecidos melhores, um fit não enorme, e mais atenção do que a linha normal.

Uma diferença do jeans da Lee para os outros é que eles são famosos por tecer a sarja da esquerda para direita. A maioria das marcas usa denim feito da direita para esquerda. O resultado é um tecido mais macio que se comporta de forma diferente com o tempo.

Nos Estados Unidos é muito difícil de encontrar e até no site americano eles chamam de “european collection“. Os produtos vintage da Lee no Japão são reproduzidos pela Edwin, que tem uma divisão na Europa. Acredito que exista alguma relação entre as duas por lá também. Além do site Europeu, um dos maiores revendedores é nas também européias Cultizm.

Lee Archive no Japão

Falando em Japão, existe a Lee Japan. A linha principal não é grandes coisas mas eles tem uma divisão chamada Lee Archive com produtos incríveis. Aqui sim, você encontra algumas reproduções que dispensam tentativas de agradar um público amplo e focam totalmente nos amantes do vintage. Na Cultizm e nae Son of Stag. você também encontra algumas peças dessa coleção.

Lá no Japão a Lee tinha um relacionamento muito legal com a Warehouse, reproduzindo em parceria muitos produtos extremamente únicos e bem feitos. Essa parceria terminou, mas são uns dos jeans e jaquetas mais bonitos que já vi.

Isso não significa que você não possa comprar um produto da linha regular, mas não é como outras marcas origens workwear que ainda focam nesse mercado e são acessíveis. A proposta da Lee normal é uma pessoa urbana casual genérica (o grupo tem outras marcas para focar no work).

Espero que tenha gostado de relembrar, ou conhecer, o jeans Lee. Agora que você conhece melhor a estrutura da marca e as diferentes linhas disponíveis, me diga:

Você concorda com a minha percepção que a marca é deixada meio de lado perto da sua concorrente original, e porque?

banner-loja-geralPowered by Rock Convert
Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo
Apaixonado por experiência do cliente, varejo e produtos. Criei o Só Queria Ter Um para compartilhar minhas experiências com botas, raw denim e vintage!