Jaquetas de Couro: A História e o Estilo

Powered by Rock Convert

Sou fã das roupas que nos acompanharam por muitos e muitos anos de vida, e a jaqueta de couro é forte nessa categoria. Trata-se de uma das peças mais versáteis e duráveis que você pode ter!

Os valores agora associados a jaqueta de couro estiveram presente em vários movimentos que moldaram a sociedade atual, mas a estética bad-boy rock’n’roll rebelde não foi intencional. O foco dos primeiros fabricantes era a construção e utilidade, não como as jaquetas seriam percebidas pelos outros.

Seus designs clássicos perduram há décadas, não como escolhas estilísticas de uma determinada década, mas como símbolos da estrada que se estende à nossa frente, e das várias subculturas que adotaram a jaqueta de couro desde então.

Quando vemos alguém vestindo uma boa jaqueta de couro, formamos imediatamente uma imagem sobre a pessoa, através de uma poderosa conexão visceral que a sociedade em geral tem com essa peça de vestuário. É algo reforçado por gerações.

Ponto de Ignição: A jaqueta dos rebeldes

Até a década de 1940, as jaquetas de couro eram estritamente utilitárias e culturalmente neutras. Naquela época, clubes de motociclistas eram vistos como qualquer outro clube social; uma associação amadoras onde jovens se encontravam em torno de atividade ou interesse comum.

Isso mudou quando em 1947, cerca de 4.000 motociclistas invadiram a pequena cidade de Hollister, na Califórnia, durante um carnaval de três dias no fim de semana de quatro de julho. Hollister estava completamente despreparada e a pequena comunidade entrou em caos. Grupos como The 13 Rebels, The Pissed Off Bastards e The Galloping Goose beberam, brigaram, destruíram e dormiram onde podiam.

Motociclista preso durante incidente de Hollister
Motociclista preso durante o incidente de Hollister, entre 3 e 6 de Julho de 1947

A polícia de Hollister, com sete homens, assistiu horrorizada enquanto a multidão bêbada tomava conta dos bairros. No último dia, depois que as tropas estaduais foram convocadas, cerca de cinquenta motociclistas foram presos e sessenta pessoas ficaram feridas. 

Pouco depois, a Life Magazine publicou reportagem sobre o evento. Uma das fotos era de um jovem motociclista com a camisa aberta, montado em sua Harley Davidson cercada de garrafas de cerveja quebradas. Ele usava o que parece ser uma deck jacket, uma pista de que ele possivelmente era um dos muitos ex-militares que se juntaram a clubes de motociclistas ao voltar da Segunda Guerra Mundial.

Acredita-se que a cobertura da mídia exagerou a quantidade de violência e os danos, mas  o evento mudou para sempre a imagem das jaquetas de couro pretas para o público geral. Depois de 1947, moradores de pequenas cidades preocupavam-se com  “bandidos” da motocicleta e possíveis ataques.

As jaquetas de couro se transformaram na segunda pele dos rebeldes. Um símbolo do estilo de vida anticonformista, de inquietação e ilegalidade. 

O cinema hollywoodiano dos anos 1950, acompanhando esses acontecimentos, criou um mito que foi incorporado como característica da virilidade por jovens do momento e das gerações seguintes: a rebeldia, uma “arma” contra a sociedade tradicional e seus valores impostos.

Marlon Brando em O Selvagem
The Wild Ones

Estes novos personagens cristalizaram um conjunto de regras vestimentares e físicas, que permitiram a uma pessoa se afirmar pela imitação de seus heróis “selvagens” em sua “fúria de viver” e na “rebeldia sem causa“.

Marlon Brando imortalizou a jaqueta de couro, montado na sua moto em The Wild One, de 1953. O filme mostra claramente o abismo entre a classe média, preocupada com refinamento e decoro, e os estranhos que mostram seu desdém pelo status quo. A jaqueta faz parte da força do do cowboy moderno em seu cavalo mecanico, sinônimo de coragem e independência

Elvis Presley Harley Davidson
Elvis em sua Harley-Davidson FLH Panhead em 1957

Não tem como evitar as influências. O mundo gira e, querendo ou não, somos influenciados por tudo o que acontece ao nosso redor. Até Elvis e os Beatles adotaram jaquetas de couro, em parte inspirados por The Wild One.

A partir destes ícones dos anos 50, a jaqueta de couro foi incorporada por vários movimentos e propostas que rompiam com os modelos de comportamento vigentes e buscavam a aceitação em contraposição à sociedade conservadora.

A geração que queria mudar o mundo

Nos anos 60, uma época em que a liberdade criativa corria desenfreada, a estética rebelde falou a língua daqueles ansiando por algo diferente do status quo. Um dos filmes que marcou essa geração foi Easy Rider, de 1969. A cena que sempre me vem à cabeça está no comecinho do filme, quando o personagem do Peter Fonda (RIP) olha para o relógio em seu pulso, tira-o, dá-lhe mais uma olhada e o joga fora. 

easy rider
Easy Riders

O filme conta a história de dois motociclistas que o sudeste dos Estados Unidos em busca de liberdade pessoal. Os personagens, vestidos em jaquetas de couro, traduzem com suas palavras e ações o desejo da época, em contraponto a uma sociedade prepotente, e preconceituosa.

No mundo real, com sua força de ruptura, a jaqueta de couro fez parte da luta pelos direitos civis dos negros norte-americanos, entre 1955 e 1968. Os membros do Partido dos Panteras Negras adotaram um visual paramilitar urbano, confiance agressivo, canalizando elementos de auto-respeito e autodeterminação. Uma declaração de independência com um alerta para aqueles que a ameaçavam. 

Maio de 1969: Membros do partido dos Panteras Negras protestando em frente ao prédio do Tribunal Criminal

Do outro lado do atlântico, as subculturas britânicas “mod” e “rockers”, tinham como um dos pilares rejeitar as ideias existentes sobre como as meninas e os meninos deveriam se vestir. Androginia estava em alta, o que significava que calças e jaquetas de couro eram para todos, assim paletas de cores formadas por preto, branco e mais preto.

E a mudança social não passou despercebida na alta costura. Em 1960, Yves Saint Laurent, na Dior, apresentou sua coleção “Beat”. Inspirada pelos existencialistas boêmios de Paris, a coleção tinha como peça principal uma jaqueta em couro de crocodilo. Essa foi a primeira vez que um designer de moda se mostrou abertamente inspirado pela cultura jovem.

Mas o visual da Beat, com suas referências subculturais, foi demais para a então conservadora casa Dior, que se recusou a contestar a convocação compulsória de Saint Laurent para o serviço militar obrigatório no final daquele ano. Quando o designer foi recrutado, a Dior o substituiu por Marc Bohan. A casa de Yves Saint Laurent foi fundada um ano depois.

Jaqueta de couro da coleção “Beat”, da Dior, desenvolvida por Yves Saint Laurent na década de 1960

Na década de 1970, a jaqueta de couro de motociclista seguiu como um símbolo. Quem assistiu ao filme Bohemian Rhapsody, talvez se recorde da cena em que Freddie Mercury resolveu adotar o bigode. Durante a década de 1970, a jornalista Frances Fitzgerald vasculhou alguns bairros gays de São Francisco para escrever sobre a cultura LGBT. Uma das coisas que ela notou é como todos se vestiam iguais. 

O visual envolvia jeans apertados, camisas xadrez, jaquetas de couro ou jaquetas bomber e botas pesadas. O estilo de homens da classe trabalhadora era, na verdade, uma desconstrução do homem tradicional. Os chamados “castro clones” foram os primeiros a afirmar que era normal ser gay e “masculino”, através da jaqueta de couro.

Podemos seguir em frente, e falar das bandas de rock underground, como The Sex Pistols e The Ramones, que customizaram versões agressivas para afirmar seu status fora do eixo mainstream. Ou de ícones hiper-masculinos dos anos 80, como o exterminador T-800 e Rocky, com sua B-3 de aviador.

The Ramones:: Schott Perfecto e Skinny Jeans

Toda essa bagagem cultural tão relevante, faz com que seja possível “roubar” características da jaqueta ao vesti-la, alterando como se é visto e percebido por pessoas ao seu redor.

Isso também explica a dúvida que muitos têm quando vão comprar a primeira jaqueta de couro (além do preço). Gostamos da peça por suas associações “perigosas”, mas e se ficar muito óbvio e forçado?

Se você estiver interessado em uma jaqueta de couro, mas não tem certeza de qual estilo é ideal para você, lembre-se que assim como existem diferentes níveis de formalidade na alfaiataria, também existe uma linguagem que puxa cada jaquetas para uma direção estética.

Não importa se você prefere algo mais elegante e moderno, ou tradicional e conservador, é possível encontrar a jaqueta que é “a sua cara”.

Aqui estão algumas três para te ajudar nessa acertar nessa busca!

Estilos de jaqueta de couro
Foto Clutch Magazine

Primeiro: Escolha um estilo de jaqueta

O couro é como como lã, algodão, linho ou outro material. Qualquer estilo de jaqueta pode ser feito com ele. De forma bem generalizada, a maioria das jaquetas de couro pode ser agrupada nas duas categorias a seguir. 

Jaquetas de aviador

As jaquetas de aviação foram desenvolvidas para pilotos de avião, mas fazem parte do guarda-roupa civil há quase cem anos.

A primeira jaqueta oficial para aviadores – que eu conheço – foi a US Army Type A-1, que o exército americano oficializou em Novembro de 1927.

Jaqueta de Couro Type A-1
Jaqueta de couro Type A-1 feita pela Freewheelers

As originais eram feitas em couro, com botões frontais, dois bolsos laterais e bainha, gola e punhos em malha elástica.

A jaqueta A-1 teve uma vida militar curta, e foi oficialmente substituída pela jaqueta A-2 em 1932 e retirada de serviço em Setembro de 1944, quando esgotou-se o estoque militar.

Milhares de jaquetas A-2 foram fabricadas nos EUA durante a Segunda Guerra Mundial. Ao final do conflito, os pilotos trouxeram as jaquetas para casa, e para mim, é uma das poucas peças de vestuário que realmente merece o adjetivo icônica.

O design da A-2 tem fecho de zíper ao invés de botões. A bainha e os punhos ainda são feitos em malha elástica, mas a gola passou a ser de couro e cortada ao estilo camisa.

Ataque Doolittle Tripulação
Jaquetas A-2. 34th Bombardment Squadron, parte da tripulação que partiu em dezesseis B-52s para executar o Ataque Doolittle durante a Segunda Guerra Mundial

Como a maioria das jaquetas estilo bomber, as tradicionais A-1 e A-2 têm silhuetas levemente arredondadas, embora vistam extremamente bem a maioria dos homens, independentemente da idade ou condição física.

Por sua popularidade, a A-2 é tão aceitável que pode parecer sem graça, mas uma jaqueta aviador A-2 bem ajustada é um ótimo ponto de entrada para o universo das jaquetas de couro. A A-1 é mais estilosa, por seu design ser mais antigo, mesmo sendo tradicional.

Harrison Ford com sua fiel A-2

Para algo um pouco mais incomum, você pode procurar uma jaqueta G-1 ou MA-1. A G-1 é versão da A-2 feita para a Marinha e tem uma gola de pelo, além de outras pequenas diferenças no design. A MA-1 é uma jaqueta de aviador feita em nylon que se tornou populares entre os jovens do punk rock e skinheads na década de 1970 e início da década de 1980. Versões em couro remetem a moda moderna.

Jaquetas de motociclistas

Os estilos clássicos de jaqueta de couro surgiram com um propósitos prático: pilotar alguma máquina pesada.

As primeiras jaquetas para os interessados por motocicletas eram opções reaproveitadas, como Jaquetas A-1 vestidas por cima de ternos e paletós esportivos.

Entre as duas guerras mundiais, a acessibilidade e melhora no desempenho das motocicletas gerou a demanda por roupas mais resistentes, e com isso a variedade de estilos aumentou. A Harley Davidson começou a produzir jaquetas “genuínas” para andar de moto. Grandes varejistas como Sears, Robuck & Co., Montgomery Ward e JC Penney colocaram “jaquetas de couro esportivas” em seus catálogos.

Nesses anos, surgiram as primeiras jaquetas double riders e cafe racer. As double-riders derivam de jaquetas de motociclista com “lancer-front”, um fecho trespassado tipo uniforme de cavalaria. Esse estilo evoluiu para a frente assimétrica com zíper, que tem sua representação mais icônica na Perfecto, da Schott (foto abaixo).

Jaqueta Schott Perfecto
Jaqueta Schott Perfecto

Jaquetas double riders costumam ter detalhes como passantes no ombro, cintos com fivelas de metal, bolsos em forma de D e golas de pele. A versão em couro preto, é a mais “agressiva” entre todos os estilos de jaqueta de couro, por sua conexão com a cultura do motociclismo e rock ‘n roll.

Se double riders são agressivas demais para você, tente uma café racer. Notável pelo minimalismo, o estilo surgiu nas pistas de corrida circulares formada por tábuas de madeira. Os pilotos usavam apertadas camisas de couro, que evoluíram para a famosa jaqueta Buco J-100 e o que hoje é chamado de jaqueta café racer.

Jaqueta Buco J100

O corte é bem esculpido para dar um encaixe perfeito, embora não tão justo quanto as camisas usadas no início do século 20. Ela possui bolsos e mangas com zíper, mangas com zíper e fecho frontal simétrico. Algumas têm uma pregas invertidas nas escápulas para permitir amplitude de movimento.

Se você não tem certeza sobre jaquetas de couro comprar, tente começar por alguma jaqueta de aviador ou por uma tipo cafe racer. Elas são clássicas e menos agressivas, adequadas tanto para um dia casual no trabalho quanto para o final de semana.

Segundo: Escolha o material

Os estilos acima são apenas ideias gerais para o design da jaqueta de couro. Tão importantes quanto, são os materiais e os detalhes, que podem levar uma jaqueta em diferentes direções – clássica ou moderna, elegante ou robusta, agressiva ou conservadora. Vamos começar com o couro:

Jaqueta Lewis Leather estilo “double rider” em couro robusto. Foto por Nick Walker.
  • Pele de cordeiro: O mais suave e mais leve de todos os couros. As peles de carneiro são flexíveis e luxuosas. Podem ser um pouco frágeis, mas, a menos que você esteja realmente pilotando aviões ou motocicletas, aguentam a maioria dos estilos de vida.
  • Pele de bezerro e pele de cabra: Depende muito do curtume, mas de modo geral, pelica e pele de cabra são mais resistentes do que a pele de cordeiro. Elas também são bastante leves e flexíveis, mas são mais resistentes a rasgos (só que não tem a mesma sensação amanteigada da pele de cordeiro). Pele de bezerro é geralmente um couro liso, a menos que tenha sido submetido a um processo de acabamento. Pele de cabra, por outro lado, normalmente tem um grão visível, e parece menos refinada que a de cordeiro.
  • Couro de vaca e cavalo: Bem mais rígidos e duros. As jaquetas de vôo e motocicleta originais eram normalmente feitas desses couros mais pesados, para oferecer mais proteção e resistir ao uso pesado. Estes couros geralmente desenvolvem mais “caráter” ao longo do tempo, enquanto as mais delicadas são mais bonitas quanto novas. São bons para quem realmente quer sentir a jaqueta em seus ombros, ter uma peça que pode usar em ambientes mais difíceis e ver como o couro se transforma com o tempo.
  • Camurça: Quase qualquer couro pode ser feito em camurça. Às vezes é uma camurça reversa, o que significa que é apenas a parte de baixo de um couro mais liso; Às vezes, o topo de um couro mais liso foi lixado para revelar seu núcleo de fibra. As jaquetas de camurça são uma ótima maneira de adicionar textura a uma roupa, e tem um visual mais leve e descontraído. Mancham facilmente e não são fáceis de limpar, então tenha cuidado ao obter uma jaqueta de camurça em um estilo que não se adapte bem às patinas.

Na foto acima, você pode ver a diferença que a leve pele de cordeiro faz. Até mesmo o double rider, que é o estilo mais agressivo de todos, se transforma em algo mais refinado.

Ao escolher um estilo de jaqueta, pense em como o modelo e o material se combinam e reflita se a combinação funciona para seu estilo de vida e seu guarda-roupa.

Uma jaqueta rústica, como uma bomber de couro de cabra ou um café racer de couro de vaca, pode ser usada com jeans, calças fatigues e calças chino workwear. Opções conservadora um pouco mais elegantes, como uma A-2 ou café racer em pele de cordeiro, podem ser vestidas com calças de alfaiataria e camisas sociais.

Veja alguns exemplos de jaquetas semelhantes, em materiais diferentes:

A-1 Jacket (Couro de Cavalo x Camurça)

Jaqueta A-1
As versões de camurça da jaqueta A-1 são extremamente versáteis e sofisticadas.

Double Rider Jacket: Couro de Cavalo x Couro de Cabra

Pesada, em couro de cavalo. Mais bonita surrada!
Jaqueta de couro double rider preta
Essa jaqueta estilo double rider não é tão rústica quanto ao modelo acima, graças ao material. O aspecto é mais “sofisticado”.

G-1 / A-2 Jacket: Couro de Cordeiro x Couro de vaca

Jaqueta estilo G-1 em couro de cabra, mais macio.
A mesma jaqueta G1-, em couro mais pesado e rústico.

Se estiver na dúvida de qual jaqueta de couro funciona melhor para você, experimente escolher um couro mais macio e acessível, como pele de cordeiro, pelica ou mesmo camurça. Em geral, jaquetas feitas com estes materiais parecerão menos “agressivas”.

Um couro mais pesado e rústico, como couro de vaca, pode ser combinado com estilos bem casuais, ou contrastado com peças conservadoras para um visual clássico.

Terceiro: Considere os detalhes

Por fim, preste atenção ao ajuste e detalhamento de uma jaqueta. Um estilo muito tradicional, como um cafe racer, pode ser modernizado com um couro de pele de cordeiro mais macio e longos zípers diagonais no peito, como a jaqueta Margiela que você vê acima.

O mesmo estilo pode ser feito de um couro mais pesado, com uma silhueta tradicional e detalhes tradicionais, como a Buco J-100. A primeira é mais contemporânea e seria mais fácil de usar com calças de alfaiataria. A segunda é um pouco mais clássica e mais adequada para combinações tradicionais, como calça jeans e camiseta.

Compare as duas jaquetas abaixo. Veja a diferença que faz remover os metais, mesmo em couros rústicos:

Ao comprar sua primeira jaqueta de couro, pense em como você planeja usá-la. O tipo de jaqueta que você vai comprar vai depender muito de com o que você planeja usar. Algumas jaquetas de couro ficam melhor com jeans surrados e botas robustas, enquanto outras vão bem com roupas mais esportivas, ou até mesmo calças de alfaiataria. 

Você precisa de algo com muita resistência à abrasão, ou você planeja usar no escritório? Você caracterizaria seu guarda-roupa como clássico ou contemporâneo, robusto ou refinado? Você quer algo que você pode usar com jeans e calças feitas sob medida? Você quer algo que envelheça ao longo do tempo ou que mantenha a cara de novo? Você vai usar isso no inverno ou no verão? Você quer algo grosso e pesado, ou suave e leve?

Depois de ter uma ideia do que está procurando, pesquise nas lojas onde normalmente compra suas outras roupas (ou busca inspiração. Um cara tradicional, pode se orientar pelos estilos de jaquetas vendidos em lojas como Brooks Brothers e Ralph Lauren. Um cara que gosta de roupas clássicas contemporâneas pode olhar para as jaquetas da Golden Bear e da Valstar. Os aficionados por workwear provavelmente gostarão de RRL, Fine Creek Leathers e Schott.

Inspirações Visuais

Separei algumas imagens para inspirar você!

jaqueta camurça valstarino
Jaqueta A-1 de camurça marrom escuro. Sofisticada com alfaiataria e casual com jeans.
Foto por @ethandesu
Foto Permanent Style
Jaqueta de camurça azul
Foto Permanent Style
Jaqueta de couro A-1
Foto da Standard & Strange
Jaqueta de couro casual
Foto @himelbros
Jaqueta Stoffa
Jaqueta aviador de camurça feita pela Stoffa
George Wang, da Brio. Estou na dúvida de quem tirou essa foto.
Jaqueta de couro 3Sixteen x Schott
Milo Ventimiglia no editorial da jaqueta 3Sixteen x Schott
Foto Standard & Strange. Jaqueta de couro preta
Foto Standard & Strange. Jaqueta de couro preta
Jaqueta Himel Bros
Jaqueta de couro Himel Bros (foto do instagram HimelBros)
Jaqueta The Armoury x Real MCcoys
Jaqueta The Armoury x Real MCcoys
Jaqueta The Armoury x Real MCcoys
Jaqueta Lewis Leather. Foto por Nick Walker.
Jaqueta de couro masculina Buco
Jaqueta Schott Perfecto
Jaqueta Schott Perfecto
Jaqueta de couro The Armoury
Jaqueta de couro The Armoury
Jaqueta de couro masculina preta
Jaqueta de couro masculina preta
Jaqueta double rider preta Real MCcoys
Jaqueta double rider preta Real MCcoys
Jaqueta de couro Cafe Racer
Jaqueta de couro Cafe Racer
Jaqueta perfecto preta Real Mccoys
Double Rider Real McCoys
Jaqueta de couro marrom
Foto Permanent Style: Jaqueta de couro marrom feita pela Gieves & Hawkes
Jaqueta de couro marrom
Jaqueta de couro Moto
de coragem e independência
Jaqueta Stoffa double rider de Camurça
banner-loja-geralPowered by Rock Convert
Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo
Apaixonado por experiência do cliente, varejo e produtos. Criei o Só Queria Ter Um para compartilhar minhas experiências com botas, raw denim e vintage!