A sua bota tem alma?

Powered by Rock Convert

As suas botas tem alma? Trocadilhos a parte, alma (ou alma de aço) é o nome de uma peça fundamental em calçados com saltos, sejam eles baixos ou altos. As finalidades deste componente são estruturar a bota, sustentar o arco do pé, e proporcionar mais equilíbrio ao usuário.

Encaixadas entre a palmilha de montagem e o solado, pense nelas como a espinha dorsal da sua bota. Invisível aos olhos, posicionadas entre a planta do pé e o calcanhar, fazem uma enorme diferença. Mas se você não conhecia, não se preocupe! Este artigo vai explicar tudo a respeito e ao terminar o texto, você vai saber um pouco mais sobre como julgar a qualidade de uma bota.

O que é a alma de aço?

Alma de aço sob a palmilha de uma bota Red Wing Beckman

Sendo mais específico: Alma é um peça retangular feita de materiais rígidos como aço, madeira, fibra de vidro, plástico ou até mesmo couro. O aço é o mais comum, pois dificilmente irá deformar com o tempo. No entanto, a fibra de vidro, é mais “amigável” em aeroportos. Fabricantes ingleses tradicionais, como a Tricker’s, utilizam madeira por ser mais leve. Workboots clássicas das marcas do Noroeste Pacífico, utilizam até mesmo o couro por ele não esquentar. Cada opção tem seus prós e contras, e a escolha fica a critério do fabricante e da prioridade para o calçado em questão.

Independente do material, a alma fica sob a palmilha de montagem, estendendo-se da planta do pé até o calcanhar. Assim como o material, o comprimento e a largura da alma também variam conforme a aplicação do calçado. Se você comparar a peça de metal na foto acima com a peça de metal abaixo, vai notar a diferença no comprimento. Quanto mais larga e grossa, maior vai ser a estabilidade e equilíbrio, porém isso influencia diretamente no peso do calçado e em sua rigidez. No entanto, ela nunca ultrapassa o ponto de flexão dos dedos para não atrapalhar o caminhar.

Alma de aço reforçadas por uma alma de couro em botas White’s, fabricante que por fazer botas de trabalho, costuma utilizar almas bem largas e bem maiores do que você irá normalmente encontrar em botas casuais

Em calçados de construção mais simples, elas geralmente são pequenininhas e ficam envolta por um papelão que ajuda na colagem, já que os componentes não são robustos o suficientes para aguentar outro tipo de reforço senão a cola. Isso não é ideal, pois assim como as palmilhas de montagem de papelão, este material pode se esfarelar. Com isso, a peça sai do lugar e perde seu propósito. Mesmo assim, se a bota tem salto, é melhor ter uma alma “meia boca” do que não ter.

Em botas ou sapatos feitos com construções mais elaboradas, como os exemplos nas fotos acima, a alma de aço pode ser colada e depois fixada com parafusos/pregos diretamente nas palmilhas de montagem, que são bem mais espessas e de couro. Alguns fabricantes ainda cobrem a alma de aço com outra peça super espessa de ouro ou mesmo borracha como na foto acima e na foto abaixo:

Sapato Meermin, antes do solado ser costurado na vira

Após a construção e montagem do cabedal na palmilha, o espaço entre a palmilha de montagem e o solado ainda é preenchido com uma camada de materiais como cortiça, borracha ou couro, que fica entre a palmilha de montagem e a entressola. Tantas camadas entre o seu pé e o chão deixam a bota mais pesada, mas ajudam bastante na resistencia, durabilidade e conforto do produto.

Outra opção é fixá-las na entressola, já que botas robustas costumam ter mais de uma camada no solado. Repare na espessura da palmilha de montagem na foto acima onde estou segurando uma Red Wing cortada ao meio. A espessura média de uma palmilha de montagem padrão em botas mais simples é cerca de um quarto dessa medida.

Quais os benefícios estruturais de uma bota com alma?

Basta olhar para uma bota que você imediatamente pensa em algo forte, robusto, com exterior de couro resistente e solados duráveis. Uma boa bota precisa de resistência e conforto, mas parte disso vem do que você não pode ver – escondido dentro da estrutura.

Como são componentes internos, você não verá a alma da bota a não ser que precise trocar a sola. Se estiver curioso, na maioria dos casos é possível sentir se ela está lá ou não. Tente pressionar o meio da sola para sentir se há alguma resistência ou tente flexionar a bota no meio. Fique contente se ela estiver lá para apoiar a sua bota e os seus pés!

Sabe como um tênis perde totalmente o formato original com o tempo? E como de um dia para o outro, o caminhar que era macio e apoiava o seu pé some e você sente que está caminhando no chão? Você quer que uma bota dure muito tempo, e as almas reforçam a estrutura das botas para um calce mais seguro e estável.

Se você já experimentou um par de botas de trabalho resistentes, provavelmente as achou rígidas e desconfortáveis, mas essa rigidez na verdade dá suporte para os seus pés e proporciona um calce mais confortável ao longo do dia. Com o tempo, a construção robusta irá ceder e amaciar nos pontos de flexão sem desmoronar sob seu peso.

Eu sei que fotos não contam toda a história então vou começar recomendo esse vídeo, que já começa com uma excelente demonstração da diferença estrutural entre uma bota com alma e outra sem:

Qual a vantagem em calçar uma bota com alma?

Além dos benefícios estruturais, a alma também ajuda no seu conforto.

Ela alivia a tensão, pois seu apoio diminui a carga sobre os arcos do pé, panturrilhas e joelhos. Sem uma alma forte, a bota flexiona mais do que deveria. Em certos calçados esportivos, isso é desejável, mas você não precisa disso quando está em pé parado ou caminhando normalmente. Afinal, é mais confortável ficar uma hora em pé descalço na calçada do que uma hora em pé em um colchão, concorda? Até mesmo alguns tênis esportivos mais especializados costumam ter alguma rigidez central, mesmo que externa.

Este suporte é importante até em calçados de corrida pela forma como pisamos. A pronação nos permite transferir o peso dos calcanhares para a planta dos pés ao caminhar. Na pronação normal, a parte externa do calcanhar entra em contato com o solo e o pé rola para dentro cerca de 15%. Os pés suportam o corpo sem problemas, mas a maioria das pessoas não tem pés ou passos perfeitos.

Se você tem pés chatos, provavelmente prona excessivamente, o que significa que a parte externa do calcanhar entra em contato com o solo primeiro e depois o pé rola para dentro em mais de 15%. Se você tem arcos altos, provavelmente prona pouco, o que significa que a parte externa do calcanhar atinge o solo, mas o pé não rola para dentro tanto quanto deveria. Em cada um desses casos, o peso corporal não é distribuído de maneira uniforme.

A pronação pode causar dor nos pés, dor no joelho, fascite plantar e outros desconfortos. A coisa mais fácil que você pode fazer para aliviar a dor é usar calçados adequados. Nada melhor que um calçado com salto firme, alma forte e entressola resistente para apoiar e estabilizar os seus pés. As almas atuam como talas, ajudando na pronação e forçando o calçado a dobrar apenas na ponta, mantendo o arco imóvel.

Além disso, elas também ajudam a manter o equilíbrio em terreno irregular e protegem o seu pé do relevo (você não sente cada pedra ao caminhar). Esse suporte é fundamental para manter uma boa tração e postura!

Botas assim também são muito boas para quem anda de moto!

Acompanho – apenas como observador – a cena kustom é visível como nos Estados Unidos, Europa e Japão aparecem bastante as botas feitas pelos fabricantes do Noroeste Pacífico (como Wesco), sempre com saltos mais altos e em vários casos apenas meia pata de borracha. Vou usar de exemplo um cara famoso, facilmente reconhecível, que está muito inserido nesse universo: Jason Momoa. Repare como a parte central da sola dessa Wesco Boss é fina:

Muitos motociclistas acreditam que uma sola assim é desconfortável para andar de moto e preferem solados do tipo plataforma. Escondido por baixo desta sola provavelmente está uma alma de aço forte, uma camada de cortiça ou couro, e uma palmilha de montagem espessa. Botas com este nível de construção são pouco comuns no Brasil. O que você mas vai encontrar são botas feitas para calçar o mais próximo possível de um tênis. Entrando na maioria destas lojas de shopping, eu aposto que você consegue torcer quase todas as botas!

Nada de errado com isso, já que algumas pessoas querem apenas um calçado macio, flexível e não se importam se ele é mais descartável. O contraponto para quem anda de moto, o solado mole e sem nenhuma estrutura ente o pé e o pedao, faz com que toda a vibração do solo e da máquina passe direto para quem está pilotando.

Este inclusive é um dos motivos pelo qual botas de trabalho tradicionais são tão populares entre os que andam de moto. Esse site não fala sobre botas de trabalho, mas a alma sempre foi super importante para essas situações. Para ter certeza, consultei algumas reviews especializadas e a palavra “shank” (alma em inglês) sempre aparece como um ponto importante!

Não é à toa. Imagine ficar em pé o dia inteiro, segurando ferramentas pesadas, sem ter apoio para o arco dos pés. Quem trabalha em cima de escadas também a alma para proteger o pé, dar mais estabilidade e evitar lesões, já que o ângulo do degrau encaixa bem na região onde ela fica. O mesmo vale para situações de caminhada em terrenos irregulares, seja numa trilha, ou como bombeiro, lenhador, etc.

Não é a toa que botas táticas costumam combinar a alma (normalmente de nylon) com solados plataforma de borracha injetada, pois em situações assim é ideal que a bota tenha a maior rigidez possível. Isso fornece estabilidade e proteção, para que os ossos dos pés não estejam sujeitos a torções, choque ou abrasão.

Diferentes utilizações, mas necessidades semelhantes, fazem com que botas fortes assim transitem entre os diferentes universos como foi o caso da Engineer Boot que o Momoa usa na primeira foto.

Conclusão

A alma de aço, ou de outro material, é usada para fornecer estrutura a bota e apoio para os pés. Suas principais desvantagens são o peso e certa perda de flexibilidade. Portanto, tamanho e o tipo vão depender do que você está procurando na bota. Para as botas de trabalho, é muito importante contar com uma alma ampla e resistente, enquanto para botas casuais basta uma peça de metal padrão.

Como elas ficam enterradas na construção da bota, são um detalhe fácil de esquecer ou desconsiderar. Mas, para mim, são uma parte indispensável em uma boa bota. Todas as minhas botas favoritas têm alma e o suporte que elas dão para meus pés torna o calce muito mais confortável, mesmo que as construções robustas demorem um tempo para lacear. A estrutura que elas proporcionam também ajuda minhas botas a manter o formato e a força inicial, mesmo quando começam a ficar com aquele aspecto de usadas no couro.

.

engineer boot goodyear weltedPowered by Rock Convert

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *