Goodyear Welted: Como funciona este sistema de montagem de botas?

bota goodyear welted

A construção de um calçado é a sua espinha dorsal e deveria ser motivo de mais propaganda, concorda? Poucas marcas explicam, mas considero fundamental saber como uma bota foi produzida. As Engineer Boots Só Queria Ter Um são feitas com uma construção chamada Goodyear Welted, uma técnica de fabricação utilizada pelos melhores fabricantes há mais de um século.

O processo de fabricação do calçado é desenvolvido em várias etapas. Uma delas é a montagem, que tem por finalidade unir todos os componentes já confeccionados, dando forma ao calçado. O modo de fixação do cabedal à palmilha de montagem e o solado é fator que mais diferencia os possíveis sistemas de montagem. Essa união pode ocorrer de algumas maneiras, entre elas:

  • Por ‘colagem’, em que o cabedal e a palmilha, uma vez montados, utilizando-se de adesivos, são prensados contra a sola;
  • O ‘blaqueado’, em que uma única costura une o cabedal, a palmilha e a sola.
  • O Goodyear Welted, em que se costura a palmilha ao cabedal através de uma vira (welt, em inglês) a qual, por sua vez, é costurada à sola;

Goodyear Welt é um sinônimo tão forte de qualidade, que mesmo as marcas que não a utilizam esta construção, costumam complementar o visual de suas botas utilizando viras com costuras falsas para dar ao calçado um aspecto mais robusto.

A seguir, vou explicar um pouco mais sobre esse processo de Goodyear Welting, que envolve uma tira chamada de “welt”, ou vira em português. Um jeito bem legal de entender as diferenças nesse processo de montagem é começar pelo mais simples até chegar no Goodyear Welted.

Construção Colada

Legenda:

  • Faux Welt: Vira falsa. A costura já vem pronta e perfura apenas a própria vira, que é somente colada ao solado.
  • Outsole: Solado
  • Adhesive: Cola
  • Filler: Algum preenchimento entre a palmilha de montagem e o solado. Costuma ser papelão ou EVA.
  • Insole: Palmilha de montagem. Costuma ser de papelão.

Os sapatos e botas feitos com essa construção são os mais baratos e de produção mais fácil. É a mais comuma na indústria calçadista brasileira. O processo é bem simples. Em vez de costurar a parte superior na sola, os fabricantes usam somente cola para unir os dois.

Como o objetivo é um produto rápido de fabricar e barato, ela costuma utilizar de materiais e componentes que também seguem esta proposta. Se você quisesse fazer um produto de forma simples e barata, faria sentido ecnomizar na montagem mas investir em materiais caros?

Não adianta a marca tentar enfeitar este tipo de construção, porque nenhuma cola dura para sempre. O atrito entre os diferentes materiais, como couro, papelão e borracha vai enfraquecendo a força do adesivo até perder o efeito. Sem nenhuma costura ou reforço extra, é uma questão de tempo até a bota descolar.

Este é o método de construção preferido pelas fábricas tênis por criar um produto leve, um ponto positivo dessa construção. Uma bota que é apenas colada, utilizando poucos componentes internos e materiais de qualidade inferior (couro fino, palmilha de montagem de papelão, etc), costuma pesar bem menos.

Existe espaço para este tipo de calçado no mercado sim. Como a construção é simples e barata para a fábrica, ela pode oferecer um produto final com um preço menor para o consumidor. Pense em botas feitas dessa maneira como se fossem os seus tênis, em questão de durabilidade.

Construção Blaqueada

Legenda:

  • Faux Welt: Vira falsa. A costura já vem pronta e perfura apenas a própria vira, que é somente colada ao solado.
  • Outsole: Solado
  • Blake Stitch: Costura blaqueada que vai do solado até o interior da bota, perfurando a palmilha de montagem.
  • A cola não está na legenda, mas além de costurada, a sola continua sendo também colada
  • Filler: Algum preenchimento entre a palmilha de montagem e o solado.
  • Insole: Palmilha de montagem.

A fabricação Blaqueada é um meio termo bem conhecido e utilizado por fabricantes que desejam fazer um produto um pouco melhor sem elevar tanto o custo. Nela, a construção colada ganha um reforço na forma de uma costura que contorna o perímetro da sola. Esta costura começa no lado de fora da sola ou entressola e atravessa todas as camadas até terminar na palmilha de montagem.

Não é uma regra, mas é comum que botas feitas com esta construção utilizem solas pré-fabricados. A unidade vem pronta, com a vira colada, detalhes de costuras e pregos que não estão fixados a nenhum lugar, e o vinco para a costura real:

Na montagem de calçados tradicional, e mais artesanal, a sola é montada em camadas no próprio cabedal. Primeiro cola-se uma entressola, depois a sola, aí monta-se o salto em camadas de couro, etc. Os solados pré-montados já vem prontinhos e só precisam ser colados e costurados ao cabedal.

Esta construção não oferece tanta resistência e durabilidade quanto a Goodyear, mas consegue manter parte da leveza da construção colada. É uma alternativa viável principalmente quando o sapato precisa ser leve ou mais flexível, como por exemplo um mocassim. Os furos deixam a bota mais vulnerável à entrada de água. Algumas marcas contornam este problema colando a última camada da sola após a costura (para cobrir os pontos).

Infelizmente, nos piores casos, a ideia é manter o custo baixo e aumentar a margem de lucro. Não acontece tanto no Brasil, mas é muito comum ver calçados caríssimos lá fora que são feitos com essa construção relativamente simples.

É possível trocar a sola de uma bota blaqueada, mas uma grande desvantagem é o ponto perfurar a palmilha de montagem. Com o tempo, ela vai sendo enfraquecida. A quantidade de furos atravessando até a parte interna da bota vai enfraquecendo a palmilha de montagem, que não aguenta tantas reformas.

Construção Goodyear Welted

Legenda:

  • Upper Leather + Lining: O cabedal e o forro (as outras construções também tem)
  • Welt: Vira. Uma tira de couro que recebe duas costuras
  • Rapid/Stitch: A costura que une a vira ao solado
  • Insole: Palmilha de montagem.
  • Filler: Preenchimento para ocupar o espaço criado pela altura do ponto de apoio na palmilha de montagem que recebe a costura
  • Goodyear Stitch: Costura que une a vira ao cabedal (através da palmilha de montagem)
  • Outsole: Solado

Agora que eu falei sobre os meios mais simples de montar uma bota, eu acho que vai ficar mais fácil explicar o sistema Goodyear Welted.

O processo de construção Goodyear Welted envolve duas costuras que garantem fácil restauração e uma montagem robusta e resistente à água:

  • Utiliza-se uma palmilha de montagem com rib colado;
  • O cabedal é esticado na forma e virado para o interior do sapato;
  • A vira é costurada ao cabedal e palmilha de montagem. Esta costura não é visível no sapato acabado.
  • O excedente de material do cabedal é cortado
  • Coloca-se algum enchimento, que serve para encher o espaço correspondente à altura do rib. Este traz também um conforto suplementar.
  • A entressola ou a sola é colada ao cabedal e unida à vira através de uma costura. É esta costura que é visível no sapato acabado.

Como os pontos que fixam a sola não perfuram a parte interior da bota, a vira acaba criando uma barreira adicional à água. Pelo mesmo motivo, é mais fácil substituir a sola. Basta desfazer a costura dela com a vira, sem precisar desmontar a bota.

Outra vantagem da bota goodyear é que ela tem mais camadas entre o seu pé e o chão. Você ganha mais apoio e firmeza. É um pouco difícil explicar em palavras, mas é diferente calçar uma bota feita com uma construção robusta.

O produto final é uma bota com muita durabilidade. A desvantagem é um peso maior e menos flexibilidade inicial, por envolver mais camadas e material. Com o tempo, ela irá ceder onde o seu pé flexiona. Mas, como eu disse, por ser mais rígida nos pontos de menos flexão, ela traz mais firmeza.

Embora exista lugar no mundo para sapatos colados ou blaqueados, é difícil não se surpreender e apreciar os benefícios de uma bota feita com a mais alta qualidade. Com os devidos cuidados, esta construção garante um calçado confortável para a vida toda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *