Engineer Boot – Tudo Sobre Este Clássico

Powered by Rock Convert

A Engineer Boot é um estilo de bota incomum em qualquer lugar do mundo. Além disso, no Brasil, parece ser associada ao público feminino. Pelo menos é o que eu sinto, já que quando aparecem, é só nas prateleiras de sapatarias femininas.

Eu gosto muito desse tipo de bota masculina, principalmente dos detalhes e do formato que elas tinham em sua época de ouro. Uso muito botas assim, e vou contar para vocês um pouco mais sobre o modelo.

A história é bem legal. Ela pulou das fábricas, para o motociclismo, e depois para os pés da juventude. Vamos lá!

O Que é Uma Engineer Boot

engineer boots wesco boss

O nome diz tudo. As Engineer Boots foram feitas para proteger os pés e as pernas dos engenheiros. São botas muito resistentes, por isso também foram adotadas por motociclistas. Os dois grupos tinham necessidades quase idênticas: proteger os pés e as pernas da abrasão e calor.

O design pode variar, mas você sempre vai encontrar algumas características básicas.

  • Costumam ser feitas de couro full grain oleado para acrescentar flexibilidade, resistência e impermeabilidade;
  • O cano é alto e sem cadarços, tipo uma chaminé. A altura varia entre 7 e 17 polegadas;
  • Tem fivelas ajustáveis no tornozelo e na boca do cano. Essa certeza é a característica mais marcante.

Esses detalhes, como tudo que é clássico na moda masculina, são práticos:

  • Geralmente tinham solas de borracha dura para aguentar produtos químicos, peças quentes, e coisas afiadas;
  • O cabedal sem abas e cadarços é para a bota não ficar presa ao maquinário ou pecas móveis;
  • A bota tem poucas costuras, e portanto é mais impermeável;
  • O cano mais largo era para o funcionário descalçar rapidamente, caso seu pé ficasse preso.

A Engineer Boot foi feita para proteger os engenheiros, mas como muitas coisas na moda masculina, ganharam popularidade no mundo casual graças aos seus atributos utilitários.

A História da Engineer Boot

Engineer Boot e motociclistas na Califórnia em 1948

Califórnia, 1948. A foto que serviu de inspiração para a equipe de figurinistas do filme O Selvagem.

Algumas fontes dizem que bota começou a aparecer na década de 1930. Na época, eram usadas pelo condutores de trem, chamados de engineers. Esses caras jogavam carvão no motor dos trens à vapor, trabalhavam perto de maquinário pesado e perigoso, e por isso precisavam de proteger as pernas tanto do calor, da pá afiada e do maquinário.

As prováveis inspirações para esse modelo foram as botas de equitação e as botas Harness, lançadas pela Frye mais ou menos em 1860. O mais certo, é que a Chippewa foi a primeira marca a fabricar Engineer Boots regularmente. A bota apareceu nos catálogos da marca entre o final da década de 30 e o início da década de 40. Outra pioneira foi a Wesco (West Coast Boot Company).

A origem do nome é estranha quando pensamos no perfil do engenheiro moderno. A explicação é que dia a dia do profissional de hoje é diferente do que era quando a bota foi batizada.

Porque Engenheiro?

Engineer Boot da Chippewa

O significado original da palavra “engineer” é alguém que desenhava ou construia motores (engines), mas ela também era usada para chamar as pessoas que operavam equipamentos pesados. Até hoje, é comum chamar os condutores de “railroad engineers” nos Estados Unidos.

Ou seja, o engenheiro da época sujava as mãos trabalhando com máquinas em condições muito mais adversas. Pense neles com o rosto cheio de óleo, trabalhando diretamente nas linhas montagem e salas de máquina. Lembra de Steve McQueen quase perdendo o braço em O Canhoneiro do Yang-Tsé?

A vida não era fácil no trem, ou nas caldeiras das siderúrgicas. Lugares cheios de maquinário exposto, equipamentos em movimento, metal fundido e destroços voando para todo lado. As ameaças de lesões era constante, principalmente se algum membro ficasse preso nas peças móveis. Um equipamento que minimizasse o risco, e pudesse ser removido rapidamente caso a perna ficasse presa em algum pistão ou engrenagem, era muito importante.

Das fábricas para as motos

Engineer Boot na Life Magazine em 1947

Essa foto aí em cima saiu na Life Magazine em 1947. A reportagem “Cyclist’s Holiday – He and friends terrorize a town” ajudou a criar a imagem dos motoclubes rebeldes.

A Engineer Boot teve vida curta como bota de trabalho e caiu de popularidade durante a Segunda Guerra Mundial, quando as fábricas voltaram a produção para botas de combate com cadarço. Ela ficou de lado, até que veio a febre do motociclismo nos anos 50.

Essa história com as motos começou quando os veteranos da Segunda da Guerra montaram clubes de motociclismo ao voltar para casa. Eles pilotaram motos em combate e de certa forma, precisavam reviver a sensação de liberdade do veículo e a camaradagem de uma unidade militar.

Triumph 1939 e Engineer Boot

Na época não existiam produtos específicos para o motociclismo. O normal era optar por calçados feitos para outras profissões exigentes, como pilotos, lenhadores (Loggers) e eletricistas (Lineman).

A Engineer Boot surgiu como uma das candidatas e por um tempo foi eleita a melhor bota para andar de moto. Ela não tem cadarços e adereços que pudessem ficar presos nas partes móveis da moto, protege a perna do calor, e protege o motociclista no caso de queda. De quebra, tem um visual transgressivo e bem agressivo.

 

The Wild Ones – Os Selvagens!

Marlon Brando em O Selvagem calçando uma bota Engineer Boot

De certa forma, foi a própria engineer boot que ajudou a iniciar a febre por motocicletas que, por sua vez, reviveu as vendas das botas. Um ciclo perfeito!

Em 1953, Marlon Brando estrelou no filme The Wild One como Johnny Strabler, o chefe do grupo degenerado Black Rebels Motorcycle Club. Enquanto eles aterrorizavam uma cidade do sul da Califórnia, Brando e seus Rebeldes estabeleceram o uniforme não oficial de um fora da lei:

  • Quepe
  • Jaqueta perfecto de couro preta
  • Camiseta branca
  • Levis 501 com barra dobrada
  • É claro, as botas de engenheiro. Em pouco tempo, milhões de adolescentes adotaram o mesmo estilo rebelde.

O filme e o look dos personagens influenciaram fortemente uma subcultura emergente de entusiastas do motociclismo e o estilo de todas as subculturas com espírito livre, como as novas estrelas do rock n’ roll, que adotaram o visual.

Rebeldes e transgressores

Adolescentes calçando Engineer Boot

Os bikers escolheram a bota pelo visual, praticidade e proteção, perfeitas para estrada. Não demorou para milhares de adolescentes copiarem o estilo. Ao contrário dos trabalhadores industriais e dos motociclistas, eles escolheram as botas pela cara agressiva e a associação aos elementos rebeldes. Eram os transgressores, em uma época de muitas mudanças culturais.

Reparem, que em filmes como Grease e American Graffiti, o visual é sempre associado a “quem causa problemas”, enquanto os bons moços amarram seus suéters no ombro.

Engineer Boot no filme Grease

A medida que o estilo rebelde se tornava mais comum, as Engineer Boots ganharam força. Mais uma vez, viraram figura certa na coleção de todas as marcas de botas e lojas de departamento.

Porém, como tudo na moda, elas perderam popularidade entre a juventude e desapareceram do mainstream. Sumiram, mas continuaram nos pés daqueles que participam de grupos onde o calçado tem um raiz mais forte, como o motociclismo e a turma do rockabilly, por exemplo.

Parte do apelo da engineer boot é seu histórico artesanal e o ethos “feito nos EUA”. No mundo de mudanças rápidas na moda, as botas de trabalho artesanais são uma anomalia – permanece em estilo porque nunca mudam. A maioria dos fabricantes de botas de trabalho de ponta confiam em métodos e máquinas de fabricação tradicionais para auxiliar artesãos altamente qualificados ao longo do processo.

Vamos falar de alguns!

Onde Comprar Uma Engineer Boot

Motociclistas na Califórnia em 1947 calçando Engineer Boot

Não é fácil encontrar uma Engineer Boot que se preze. Elas não estão na moda, então as únicas opções são as marcas de moto ou marcas de nicho.

As botas das marcas de moto costumam ser feitas em centros de baixo custo com práticas duvidosas. Na minha opinião, elas não tem formas bonitas. As botas que marcas como a Harley-Davidson estão fazendo passaram por muitas mutações para agradar o estilo de cada época, e perderam a beleza original. O bico costuma ser alto e o cano largo demais, sem o equilíbrio clássico dos anos 50.

Que detalhes são esses?

Olha essa foto das botas vintage no filme O Selvagem.

  • O bico “chato”
  • Salto woodsman
  • Meia sola de borracha

Gosto principalmente do bico baixo que as botas vintage tem:

Detalhes das engineer boots em O Selvagem

Na minha opinião, as Engineer Boots mais legais são feitas pelo nicho de marcas de botas americanas pioneiras, como a Chippewa, Wesco e Red Wing.

Outra boa ideia é correr atrás das marcas novas que tem pegada retrô. Assim como com o raw denim, as marcas e fãs do estilo sentiram falta de um produto que correspondesse à qualidade e ao estilo das botas da era de ouro. Alguns aventureiros decidiram fabricar Engineers Boots que igualam, ou ultrapassam, os padrões do passado. Elas reproduzem os detalhes que fizeram dessa bota um sucesso!

Você pode encontrar as Engineer Boots mais bacanas nas seguintes marcas:

Espero que tenham gostado de explorar o histórico dessa bota incrível! Curta e compartilhe a Engineer Boot nas redes sociais!

banner-loja-geralPowered by Rock Convert
Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo
Apaixonado por experiência do cliente, varejo e produtos. Criei o Só Queria Ter Um para compartilhar minhas experiências com botas, raw denim e vintage!