Hot Rod BH 2018: Carros antigos para amantes dos envenenados!

siga no instagram

Este final de semana fui pela primeira vez ao mais antigo e tradicional encontro de Hot Rods do Brasil. O BH Hot Show acontece em Belo Horizonte desde 1991 e não é um evento apenas para amantes dos antigos envenenados. A cobertura do Boulevard Shopping reuniu cerca de 600 carros em um ambiente leve e inclusivo. Nada melhor do que convidar todos a valorizarem os automóveis antigos e ver historia bem ali na sua frente.

Achei muito legal. Tomei umas cervejas geladas, vi umas máquinas maravilhosas que são tão bonitas hoje quanto eram no passado, conheci alguns dos colecionadores, algumas cabeças por trás das restaurações e customizações e quase comprei (ou melhor, quase me venderam) uma Rural. Sábado baum!

Sei que os leitores do blog conhecem, mas não podemos esquecer de nossos amigos que estão chegando. Hot Rods são carros modificados. As modificações geralmente incluem rodas largas atrás, já que os carros eram praticamente todos de tração traseira, pinturas diferenciadas e motores potentes.

O termo teria surgido por volta do final da década de 1930 no sul da Califórnia, onde surgiu a cultura de correr com carros modificados em leitos de lagos secos em Los Angeles. A prática tornou-se ainda mais popular depois da Segunda Guerra Mundial, com o retorno de soldados, que recebiam treinamento técnico durante o serviço militar.

O BH Hot Show é o mais antigo e tradicional encontro de Hot Rods do Brasil. Teve a sua primeira edição em 1991, mas entrou em hiato em 2000 Foram 15 anos sem encontro por falta de uma area adequada. Acho que tudo foi organizado pelo clube do Comando Bravo. Fundado em 1986, é um dos principais movimentos dos aficionados pelo estilo em Belo Horizonte.

Perdi a conta de quantos Hot Rods, Customs, Muscle Cars e Rat Rods estavam estacionados ali. E olha, haviam vários carros no estacionamento de baixo tentando entrar. Deve ter sido tão gostoso para quem observava quanto para quem teve uma chance de tirar o carro da garagem para compartilhar as restaurações e modificações.

Os carros antigos estavam divididos por décadas, picapes, muscle Cars importados e nacionais compreendendo os Dodges e Mavericks, rat rods importados e customs importados. Além disto, haviam vagas ocupadas por hot rods nacionais como os Pumas GTBs. Você não precisa entender nada de mecânica (como eu) para admirar esses belos carros dos anos 50, anos 20, 30, 40, 60, 70… dá uma olhada nas fotos:

O evento contava com toda a estrutura do próprio shopping e ganhou com o público que descobria a festa pelos cartazes espalhados nos elevadores. Automóveis não tem a característica grupal das motocicletas, que trazem bandos de macho Born to be Wild. A atmosfera estava bem diferente dos rolês bike custom, muito mais inclusiva para quem não é do meio. Meus amigos motociclistas me perdoem, mas gostei dessa ideia de um evento para todos e não um encontro da galera (que de vez em quanto também é muito bom!).

Na área do evento estavam umas poucas barracas com vendas de peças para carros antigos, camisas , quadros, placas, postêres, equipamentos e instrumentos automotivos, adesivos e chaveiros, canecas, copos personalizados e algumas antiguidades, talvez a parte fraca do evento. Outra coisa que eu sempre sinto falta em nossos eventos que giram em torno do retrô é que a paixão geralmente para no assunto principal.

Na minha opinião, eventos como o Inspiration LA ou o The Race of the Gentleman (não deve ser confundido com Distinguished Gentleman’s Ride), ficam mais charmosos quando as pessoas expandem o interesse. Sim, o impacto visual dos carros já é um show, mas eu gosto demais quando a viagem no tempo envolve todos os sentidos. Não é só questão de estética, também gera assunto para conversa e estimula a interação entre as pessoas

Os gringos fazem isso muito bem, complementando o interesse focam com detalhes de comportamento, alimentação, bebidas e moda. Isso envolve até a trilha sonora. Gosto musical não se discute, e eu amo Talking Heads, mas tem música melhor para botar a gente num clima de drag race do que Psycho Killer. No BH Hot Rod até tinham algumas mulheres vestidas de pin ups, mas não tem como tirar uma foto sem alguém no fundo quebrar totalmente o visual. A galera não aproveita para dar um pulo no passado.

Esse ano já foi, mas 2019 vem aí. Se você gosta de carro antigo, não pode perder o próximo BH Hot Rod. Procurei uma página ou fan page no Facebook para indicar mas pelo visto é criado um novo site e convite a cada ano. Você me pergunta: Lucas, como eu vou ficar sabendo desses encontros? Simples! Curte a página do Só Queria Ter Um no Facebook, segue lá no Instagram, ou então junte-se ao nosso grupo de Workwear que eu te aviso!

 

siga no instagram
Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo