Pular para o conteúdo

Isqueiro Zippo: Guia Completo para Colecionadores

zippos vintage

No início década de 1930, um homem chamado George Grand Blaisdell observou um elegante cavalheiro, que sacou um feio e pesado isqueiro do bolso para acender seu cigarro. Intrigado, ele perguntou ao homem o motivo de ele não usar um isqueiro que combinasse com seus trajes aristocráticos. A resposta que ele recebeu foi muito simples: “Porque esse aqui funciona”! Essa breve conversa plantou a semente da inspiração que deu origem a um dos produtos mais icônicos de todos os tempos: o isqueiro Zippo.

Eu não fumo, mas admiro muito o design de alguns isqueiros. Não sei se é apelas pelo design, ou se faz parte de algo ancestral em nosso DNA. Afinal, ter um isqueiro garante a habilidade de acender fogo, uma descoberta que mudou a vida dos nossos antepassados pré-históricos e abriu caminho para a vida humana como conhecemos hoje.

Nesse post, vamos falar deste isqueiro com design tão marcante, como surgiu o Zippo e quais foram as mudanças ao longo das décadas para você conseguir datar o seu isqueiro. Quem sabe não tem uma relíquia em mãos!

A história do Zippo

George Blaisdell

O empreendedor George Blaisdell, quando teve a conversa sobre o isqueiro, estava buscando uma nova ideia de negócio para salvá-lo do abismo que foi a Grande Depressão. Inspirado pela cena do cavalheiro elegante com um isqueiro enorme, ele entrou em contato com a fabricante austríaca que produzia o tal produto – que funcionava muito bem – e comprou os direitos de distribuição nos Estados Unidos.

Antes do lançamento, ele resolveu fazer algumas mudanças. Queria que fosse possível operar seu isqueiro com apenas uma mão. No lugar de uma tampa removível, para proteger o pavio e o combustível, ele desenvolveu uma dobradiça que mantém a tampa fixa com a ajuda de uma mola. Bastaria um movimento com o polegar para abrir o isqueiro ao som do “clique”, hoje uma marca registrada.

Blaisdell também colocou uma proteção ao redor do pavio de pano embebido por fluído inflamável. O sistema protetor, que se assemelha a uma lamparina, deu ao isqueiro a fama de ser a prova de vento. Quando acesa, a chama de um Zippo dificilmente se apaga.

Isqueiro Zippo de 1932
Isqueiro Zippo de 1932

O primeiro modelo foi lançado em 1932 com o nome Zippo. Foi uma espécie de homenagem a outra novíssima invenção, os zíperes. O criador estava tão confiante que colocou garantia vitalícia no produto. Até hoje, a Zippo restaura qualquer isqueiro gratuitamente.

Os primeiros Zippos tinham as bordas mais afiadas e não eram tão confortáveis de segurar nem de levar no bolso. Alguns anos depois, as bordas foram arredondadas. O design ficou mais suave, e a dobradiça externa foi para dentro da tampa, onde suas bordas não incomodam.

A luz que guiou Blaisdell para fora do túnel escuro da Depressão foi literalmente a chama de um isqueiro Zippo. Essa invenção extremamente prática foi um sucesso imediato no mercado americano.

O Zippo preto da Segunda Guerra Mundial

zippo preto segunda guerra mundial

Os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra após o ataque a Pearl Habour, em dezembro de 1941. O país direcionou as linhas de produção de todas as fábricas para o esforço de guerra.

Usar latão ou cromo para fazer isqueiros deixou de ser uma possibilidade. Ambos os metais foram racionados para fabricação de munições. Blaisdell reagiu rapidamente.

A Zippo começou a vender os chamados “Black Crackle Zippos”, feitos com chapas de aço cobertas por plástico preto para protegê-los da corrosão. Esta versão se tornou-se padrão do US Army, e cada GI recebia um. Se você tem curiosidade sobre o papel do Zippo nas guerras, eu recomendo os seguintes livros:

Os isqueiros tiveram grande importância no conflito, por causa da sua durabilidade e facilidade de acender durante as batalhas. As chamas resistiam ao vento, e eles podiam ser utilizados com uma só mão. Foram usados para acender cigarros, esquentar sopas nos capacetes ou simplesmente abrir caminho no meio da escuridão.

frank sinatra com zippo

Muitos soldados personalizaram seus Zippos, arranhando seus nomes ou outras mensagens na capa de plástico. A marca reconheceu o potencial dessa ideia, e passou a oferecer gravações personalizadas para quem pagasse. Depois da Segunda Guerra Mundial, os isqueiros Zippos se firmaram como uma mídia popular para propagandas de pequenas e grandes empresas ao longo da década de 1960.

O fato de que milhões de militares americanos utilizaram o isqueiro nos campos de batalha catalizou a imagem do produto, que virou uma espécie de ícone americano no mundo todo.  Nos anos de 1950, galãs como James Dean e Humphrey Bogart faziam charme e pose de mal com um Zippo nas mãos. O ícone seguiu forte em Hollywood, de Frank Sinatra a George Clooney.

Colecionáveis do Vietnã

isqueiros zippos vietna

O Zippo seguiu como item padrão do Exército dos EUA. Na Guerra do Vietnã, o isqueiro marcado virou uma declaração pessoal. Com suas mensagens arranhadas, que vão de declarações de guerra a recados frívolos, passaram a cobiçados itens de colecionador, com preços bastante elevados.

Mesmo sendo considerado uma lenda do design, ele não é um produto  que foi criado com o visual em mente. A forma foi o resultado de uma evolução impulsionada por demandas funcionais. Hoje, a Zippo lança uma nova coleção de isqueiros a cada ano e segue firme com sua garantia vitalícia!

Como datar o seu isqueiro Zippo

isqueiro zippo vintage

Como todo colecionável, o Zippo tem alguns detalhes que valorizam mais ou menos o produto. O maior deles, é a data de fabricação.

Encontrar a idade de um isqueiro Zippo não é uma tarefa tão difícil. Os mais recentes são ainda mais fáceis, graças ao sistema de impressão da data no processo de fabricação a partir do ano 2000. Para isqueiros feitos antes, há alguns códigos diferentes e você precisa seguir alguns passos simples para determinar a data de fabricação.

  • Mesmo sem o código de data, a maioria dos isqueiros fabricados entre 1933 e 1957 também pode ser identificada por estilo ou grafia da marca em baixo dele. Confira o selo na parte inferior do isqueiro. Os fabricados antes 1937 possuem a frase “Pat. Pending”, porque o primeiro modelo patenteado só foi produzido mais tarde. Se no selo estiver escrito Patent 2032695, significa que o isqueiro foi manufaturado em 1937.
  • Confira o selo na base do isqueiro. Se o selo exibir a frase “Black Crackle Patent 203695” é porque o isqueiro foi fabricado entre 1949 e 1957. Se a mensagem “Patent 2517191” estiver gravada na parte central da base do isqueiro, significa que sua fabricação ocorreu entre 1951 e 1957.
  • Procure por outras marcas na parte inferior do isqueiro. Os Zippos tem alguma marcação desde a década de 1950. O objetivo original era o controle de qualidade, mas a série de números virou uma ferramenta inestimável para os colecionadores. Aqueles fabricados entre 1957 e 1965 possuem entre um e quatro pontos em cada lado do isqueiro. Os que foram fabricados entre 1966 e 1972 têm entre uma e quatro linhas verticais gravadas em cada lado de sua base. Entre 1974 e 1981, a Zippo usou barras em nos lados da base do isqueiro para marcar a data de fabricação. Entre 1982 e 1986 foram usadas contrabarras.
data de identificacao zippo
  • Leia as letras e os números gravados na base do isqueiro. Observe que uma combinação de letras e números romanos indica que o isqueiro foi fabricado entre 1986 e 2000. As letras de “A” a “L” seguidas por um número de dois dígitos indicam que a fabricação do isqueiro ocorreu entre 2001 e 2010.
  • O sistema de datas mais atual usa uma letra e dois dígitos para identificar o mês e o ano de fabricação. As letras de A a L representam os meses (A para Janeiro, B para Fevereiro, etc). Os dois dígitos correspondem ao ano de fabricação (14 para 2014)
  • O visual da palavra “Zippo” carimbada na parte de baixo do isqueiro é outra pista. A marca passou por três mudanças, conforme a imagem abaixo. De 1933 até meados dos anos 50, a palavra Zippo era marcada em letras maiúsculas. O logotipo mais leve apareceu em torno de 1955. No final dos anos 70, o logotipo foi redesenhado, mas só foi incorporado no carimbo em 1980.
logo zippo
  • O número de dobradiças na tampa do isqueiro também ajuda a determinar a idade, mas como os primeiros Zippos falhavam muito na tampa, muitas originais foram substituídas. Esse detalhe não é sempre tão confiável mas pode ser combinado com outros para tirar dúvidas.
    • Dobradiças externas com 3 divisórias: 1932 – 1935
    • Dobradiças externas com 4 divisórias: 1936 – 1937
    • Dobradiças internas com 4 divisórias: 1936 – 1943
    • Dobradiças internas com 3 divisórias:1943 – 1948
    • Dobradiças internas com 5 divisórias:1948 – atual
    • Dobradiças externas com 5 divisórias: réplicas de 1932 e 193
  • Buracos na chaminé
    • 16 (8 de cada lado) – 1933 – 1934
    • 14 (7 de cada lado) – 1935 – 1946
    • 16 (8 de cada lado) – 1947 em diante

Registros variados no fundo de cada isqueiro tornam possível a identificação dos Zippos desde a década de 1930, fazendo deles os presentes vintage ideais. Existem poucos objetos de uso diário que conseguem despertar a tanta atenção dos colecionadores. Os originais são vendidos por vários milhares de dólares!

Onde Comprar Isqueiro Zippo


isqueiro zippo vintage

Primeiramente, a não ser que você esteja procurando uma peça de colecionador ou um produto realmente vintage, eu aconselho comprar direto no site da Zippo ou algum distribuidor autorizado. Você pode pagar um pouco a mais, mas tem a garantia de estar recebendo uma peça de qualidade.

No Brasil não é difícil encontrar, sabe? O Zippo é super comum. Na internet, encontrei vários tipos na Amazon. O site Vintage Garage tem alguns isqueiros um pouco mais únicos e até antigos.

Se você quiser algo diferente, talvez antigo, mas não necessáriamente um vintage especial, eu recomendo procurar no Etsy, um site excelente para garimpar. Você pode perder horas seguindo a trilha das páginas recomendadas!

Outra sugestão sempre muito boa é procurar no eBay. Experimente buscar por “vintage zippos” ou alguma época específica, como “vietnam zippos” ou “WWII Zippos”, por exemplo. Nos dois casos, fique atento aos detalhes do produto e não tenha medo de perguntar. Você também pode usar agregadores que fazem um filtro prévio de leilões interessantes, como o site Collectors Weekly.

No mais, é preciso garimpar e ficar de olho em feiras e brechós, pois eles sempre aparecem. Nos Estados Unidos e outros países mais ligados a esta cultura de colecionáveis você vai ter mais dificuldade para encontrar aquele achado por uma pechincha esquecido em algum lugar.

É possível ter muito mais sorte no Brasil, principalmente naquelas feiras despretenchisas e brechós que não tem especialização. Quando a “barraca” na feira pertence a um cara mais especializado, você pode ter que negociar. Na feira Benedito Calixto, em São Paulo, muitos colecionadores vendem isqueiros de várias marcas por preços elevados, pois são sempre items bons para colecionar.

isqueiro zippo vintage de guerra
isqueiro zippo vintage

Se você não for um fumante e quer carregar um isqueiro para estar preparado, eles não são sua melhor escolha. Além de maiores e relativamente pesados, também perdem combustível com mais facilidade se ficarem parados durante longos períodos.

Um simples BIC desses que compramos em qualquer mercadinho funciona perfeitamente se esse for o objetivo, mas nem se compara o visual e o apelo de colecionador. Independente de modelos e escolhas, ter um isqueiro na sua mochila ou bolso é sempre importante!

Agora, para quem fuma, o Zippo me parece um ritual. É só você reabastecer seu combustível de semana em semana, e pelo que escuto, não se importar com o sabor de combustível nas primeiras tragadas do seu cigarro. Na verdade, o cheiro não parece ser um problema: simplesmente virou parte da experiência.

Pra mim, o design simples é imbatível. Pra colecionar então? A rica história e a quantidade de variedades é um prato cheio para uma boa caça ao tesouro.

O Zippo foi testado em qualquer situação imaginável. Nem imagino quantos fogos eles acenderam. Foram bons o suficiente nas praias da Normandia e Iwo Jima. Foram bons o suficiente no inferno verde do Vietnã. Funcionam pra pescar no Alasca e resolvem nas plataformas de petróleo no Atlântico. São sempre bons o suficiente, e funcionam.

41 comentários em “Isqueiro Zippo: Guia Completo para Colecionadores”

  1. Parei de fumar faz um tempo, e tive alguns Zippos. Mas o isqueiro que ficou de verdade foi o IMCO-JUNIOR, que era o equivalente europeu do Zippo. Vale fazer um post sobre ele também! 😉

    1. Fala Hermes! Quer formatar um rascunho sobre seu isqueiro favorito, o IMCO-JUNIOR, e me enviar para formatar? Eu publico e coloco você como autor.

      Se gostar de escrever e for fã de outros modelos podemos fechar um pacote para incluir mais histórias sobre design de isqueiros clássicos aqui no blog!

      1. Matéria show… Possuo um Zippo PAT 2032695 estampado no fundo J ZIPPO X… Saberia me precisar a data de fabricação dele com esses dados? Valeu amigo… Blog muito bacana o seu… Abraço!!!

          1. Luiz Carlos dos Santos Faria

            Boa tarde tenho um isqueiro Zippo de Bradford xi pra vender quanto vc da

  2. Lucas,boa tarde.
    Tenho alguns Zippo mas não entendo nada e sua matéria foi muito esclarecedora.
    Penso em vendê-los.
    Você sabe me informar onde busco pessoas interessadas?
    Abraço
    Fabio

  3. Daniel Roberto

    Nunca fumei, mas colecionava zippos desde a adolescência, ganhei o meu primeiro do meu pai, que é ex fumante, eu simplesmente carregava ele por ai, sua elegante chama me acalma, não sei explicar. Cheguei a ter uns bem raros que comprei no ebay, inclusive do vietnã, eles tinham até apelidos, até que um belo dia enquanto trabalhava, entraram na minha casa e roubaram todos! Eu tinha desistido deles,até que recentemente meu irmão me deu um novo original, que me despertou a vontade de colecionar novamente, é claro que aqueles eu não vou conseguir comprar novamente, mas logo virão outros com outros apelidos.

  4. Não sou fumante,mas gosto de itens relacionado a tabaco,isqueiros zippo sempre gostei e tive,recentemente herdei do meu pai um original na caixa com manuais,fabricação recente as patentes são ( I zippo 14 ) pelo que pesquisei foi fabricado em setembro de 2014…parabéns pela matéria…

  5. Os “alternativos” não valem à pena: para não usar os modelos antigos de Zippo e Binga que tenho, fui comprar um: o preço tava interessante, mas fiquei desconfiado… Acabei optando por uma “cópia de qualidade”, que à primeira vista parece um Zippo em tudo (mas é mais leve). Muito bonito, em preto fosco, com o barulho quase igual, ao ponto que me apeguei e cheguei há pesquisar para fazer uma gravação personalizada.

    Funcionou muito bem. Nos primeiros dias.

    O combustível tem muita benzina, queima demais quando aceso, mas evapora em três dias, não importa o quanto se encharque o algodão. Mas não é só o combustível (se fosse, era só usar fluido Zippo): o peso se deve ao fato do forro de algodão ser “fofo”, pouco denso, e não conter o material, que também escapa pelo pavio e pelas frestas – incluindo entre o isqueiro e a capa -, que tem uma tolerância bem maior do que dos Zippo’s.

    A roda de ignição se torna pesada, se não for lubrificada, o que faz o isqueiro ser difícil de acender: tem de usar as duas mãos, dar uma “rodada” vigorosa, e dificilmente se consegue de primeira, o que anula a praticidade da peça.

    Se o Zippo que me ofereceram na Tabacaria (e do qual desconfiei, por não ter o lacre e a caixa parecer… Fraca) fosse original, seria um negócio melhor que o alternativo por 1/4 do valor, pois seriam mais 3/4, mas por algo confiável.

    Em todo caso, não foi um valor perdido: tenho outro uso para ele, e achei um Zippo original, também preto fosco com um kit (fluido, pedras e pavio), em um importador oficial por um ótimo preço, frete grátis e pude usar um cupom de desconto.

    Comprar bem é comprar uma vez só…

  6. Carlos Alberto Bárbaro

    Boa noite, Lucas,

    Saberia me dizer se essa garantia vitalícia de restauração vale em algum representante aqui do Brasil também.
    Porque de repente a dobradiça que segura a tampa não está mais fazendo isto.

    Grato,

    Bárbaro

  7. Olá amigo tenho um Zippo e não sei a data de fabricação este isqueiro tem algum valor comercial.no fundo tem umas coisas escrita (Zippo mfg. Co. Bradford pa. D ZIPPO 11 PAT. 2032695 made in U.S.A obrigado

    1. Olá, Adriano! Tudo beleza?

      Até onde sei, deve ter sido fábricado entre o final da década de 1930 e a década de 1950. No e-bay, eles são vendidos por entre $ 20 e $ 50 dólares, mas dependendo do modelo o valor pode ser mais alto.

      Veja se encontra um com as mesmas características para ter uma ideia do valor: https://www.ebay.com/bhp/zippo-2032695

      Abs!!!!

  8. Prezados Mantenho uma barraca na feira de antiguidades, aos sábados na praça quinze, centro, Rio de Janeiro. Sempre tenho Zippo, novos antigos, usados, temáticos (que são minha preferência), tenho também outras marcas como Ibelo, Monopol, Zenith, Vospic. As vezes alguns top como Dupont, Dunhill, Flaminaire entre outros de formatos curiosos e/ou raros. Contatos Broderix LC ou Risabugigangas no Facebook, mantenho também anúncios no mercado livre como Newbrod, estou sempre em busca de opções para negociação.

  9. Boa noite.. tem onde posso mandar avaliar? tenho 4 novos.. 1 deles é do japao, c desenho de coruja em relevo c olhos de diamante. muito antigo.
    se puder me indicar alguem q faca avaliação ou q e interesse.. agradeco.

  10. Preciso de uma ajudinha, tenho um zippo americano, acredito ser de 1950 a 1957, está com a seguinte legenda “Ruby Halley Welding service oilfield e pipeline Welding,
    Day phone 6478
    Night phone 2- 1987
    609 Lafayette ST.
    Houma, LA
    Vocês podem me dar uma orientação, era do meu tio e quando ele faleceu eu fiquei de Recordação

  11. Boa noite, gostei muito das informações, estava atrás de informações de um Zippo que eu ganhei de um amigo que foi morar no Japão e na volta fazendo escala na Alemanha me trouxe um dourado com gravura lateral da Marlboro na horizontal e aparentemente tinha o cavaleiro montado na traseira. Estava atrás de informações sobre, pois acabei gostando e queria saber o modelo. Possui gravuras ” I ” – ” XIV ” . Abraços!

  12. Ola! eu não consigo datar o meu ZIPPO ainda. Suas especificações são, chamine com 16 furos, linhas //// só de um lado, nome zippo entre 1955 a 1979.
    Foi de um navio de guerra, Custodio de Mello, o simbolo é todo dourado.

  13. Luiz Fellipe Pereira das Neves

    Gostaria de saber como posso dar mais “pressão” na mola da tampa de meu ZIPPO, pois se encontra frouxa e não se mantém aberta direito. Grato.

  14. Miguel Rosa Neto

    Boa noite, Lucas. Isqueiros sempre foram o meu hobby. Tenho uns 30 Zippos, comprados lá e cá, incluindo uma réplica do 1932 com dobradiça externa, um de prata pura e um Lady Barbara, com suporte de mesa. Todos impecáveis e a maioria n~ão usada. Porém, o meu xodó são os Monopol Ibelo, os Colibris, alemães do tempo da guerra. Pequeninos, delicados, eram usados muito por dandis e mulheres. Lindíssimos.Talvez fosse o caso de vpocê publicar um post exclusivo sobre eles. Forte abraço.

    1. Olá, Miguel. Obrigado pelo comentário! O Lady Barbara e o Lady Bradford são muito elegantes. Que bacana você ter em sua coleção. O que acha de me ajudar a escrever este post sobre os Monopol e também sobre outros modelos Zippo? Eles não precisam ser muito longos; algo entre 500 e 1000 palavras.

      Abs!

  15. selma Ribeiro

    Olá, Tenho um aqui em casa da Born in USA MPS 5/10 10mm GUn. Conhece, tem informações desta empresa ?

  16. Leonardo Coloneli

    Eu comprei um zippo 250 classic high polished chrome e na parte de fora embaixo está marcado G e 20, e na parte de dentro está marcado H e 20.
    Eu paguei 294,00R$ por ele e pelo que eu vi e pesquisei me parece ser original mesmo. Só observei essa diferença da letra na marcação da parte de fora com G e na parte de dentro com H.
    Isso acontece ou é normal?

  17. Leandro Pessoa

    Ótima matéria sobre isqueiro Zippo, é um clássico mundial, conheço muitas pessoas que não fumam e tem pelo menos um isqueiro da Zippo. Tenho 2 Zippo, um de 1974 e outro de 1999, um Zippo slim de 1996.. Tenho um concorrente tipo Zippo feito pela Remembrance na década de 50 em Minnesota, modelo Wind Master, com Patent Pending, pararam de fabricar em 1962, acho bem melhor que o Zippo (qualidade, material), aqui no Brasil a Pombo Vendaval copiou o estilo na década de 60. Tenho 2 nacionais tipo Zippo da Champpion Constellation feito na década de 60 com caixinhas da época. Meu xodó é um isqueiro slim tipo Zippo feito no Japão na década de 40 pela Excellent Lighter Supreme, tem patente gravada e na caixinha da época, depois foram feitos na Coreia, China.

  18. Antonio Marchi Caram Sfair

    Olá colega, bom dia. Aonde eu consigo avaliar meu Zippo? Gosto muito dele, mas preciso de dinheiro.

  19. Marcello Sgarbi

    Olá, gostaria de tirar uma dúvida, vi no mercado livre alguns “zippo insert”, porém alguns têm a inscrição CHINA no fundo do insert ( no caso o de chama dupla) é falso?

  20. Achei um isqueiro excelent lighter supreme fabricado no Japão e tem até número “629.350”. Alguém sabe me dizer se tem algum valor? Está em bom estado e até já usei, mas como não fumo, estou pensando em vender…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *