Isqueiro Zippo: Guia Completo para Colecionadores

zippos vintage

No início década de 1930, George Grand Blaisdell testemunhou um elegante cavalheiro sacar um feio pesado isqueiro e acender um cigarro. Intrigado, perguntou ao homem por que não combinar o isqueiro com os trajes aristocráticos, e recebeu uma resposta muito simples: “Porque esse aqui funciona!”. Curta resposta, inspiração para um produto que mantém status de ícone até hoje: o isqueiro Zippo.

Eu não fumo, mas o design de um bom isqueiro me atrai bastante. Não sei se é dentro da ideologia sobrevivencialista EDC e toda aquela ideia de carregar alguns itens específicos durante o seu dia ou se é mais ancestral. Ter um isqueiro é importante para lhe garantir a habilidade de fazer fogo se você precisar. Sabemos como a descoberta do fogo mudou a vida do homem.

 

A história do Zippo

George Blaisdell

O empreendedor George Blaisdell procurava uma nova ideia de negócio para sair do abismo que foi a Grande Depressão. Inspirado, entrou em contato com a fabricante de isqueiros austríaca que o tal produto pesado e comprou os direitos de distribuição nos Estados Unidos.

Depois, decidiu reprojetar o produto com especificações próprias. Ele queria que uma mão bastasse para operar seu isqueiro. Ao invés de proteger o pavio e o combustível com uma tampa removível, desenvolveu uma dobradiça que mantém a tampa fixa com a ajuda de uma mola. Basta um movimento com o polegar para abrir o isqueiro ao som do “clique” marca registrada.

Blaisdell também colocou uma proteção ao redor do pavio de pano embebido por fluído inflamável. O sistema protetor que se assemelha a uma lamparina deu ao isqueiro a fama de a prova de vento. Quando acesa, a chama dificilmente se apaga.

Isqueiro Zippo de 1932

Isqueiro Zippo de 1932

O primeiro modelo foi lançado em 1932 com o nome Zippo. Foi uma espécie de homenagem a outra novíssima invenção, os zíperes. O criador estava tão confiante que colocou garantia vitalícia no produto. Até hoje, a Zippo restaura qualquer isqueiro gratuitamente.

Os primeiros Zippos tinham as bordas mais afiadas e não eram tão confortáveis de segurar nem de levar no bolso. Alguns anos depois, as bordas foram arredondadas. O design ficou mais suave, e a dobradiça externa foi para dentro da tampa, onde suas bordas não incomodam.

A luz que guiou Blaisdell para fora do túnel escuro da Depressão foi literalmente a chama de um isqueiro Zippo. Essa invenção extremamente prática foi um sucesso imediato no mercado americano.

O Zippo preto da Segunda Guerra Mundial

zippo preto segunda guerra mundial

Os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra após o ataque a Pearl Habour, em dezembro de 1941. O país direcionou as linhas de produção de todas as fábricas para o esforço de guerra.

Usar latão ou cromo para fazer isqueiros deixou de ser uma possibilidade. Ambos os metais foram racionados para fabricação de munições. Blaisdell reagiu rapidamente.

A Zippo começou a vender os chamados “Black Crackle Zippos”, feitos com chapas de aço cobertas por plástico preto para protegê-los da corrosão. Esta versão se tornou-se padrão do US Army, e cada GI recebia um.

Os isqueiros tiveram grande importância no conflito por causa da durabilidade e facilidade de acender durante as batalhas. As chamas resistiam ao vento, e eles podiam ser utilizados com uma só mão. Foram usados para acender cigarros, esquentar sopas nos capacetes ou simplesmente abrir caminho no meio da escuridão.

frank sinatra com zippo

Muitos soldados personalizaram seus Zippos, arranhando seus nomes ou outras mensagens na capa de plástico. A marca reconheceu o potencial dessa ideia, e passou a oferecer gravações personalizadas para quem pagasse. Depois da Segunda Guerra Mundial, os isqueiros Zippos se firmaram como uma mídia popular para propagandas de pequenas e grandes empresas ao longo da década de 1960.

O fato de que milhões de militares americanos utilizaram o isqueiro nos campos de batalha catalizou a imagem do produto, que virou uma espécie de ícone americano no mundo todo.  Nos anos de 1950, galãs como James Dean e Humphrey Bogart faziam charme e pose de mal com um Zippo nas mãos. O ícone seguiu forte em Hollywood, de Frank Sinatra a George Clooney.

Colecionáveis do Vietnã

isqueiros zippos vietna

O Zippo seguiu como item padrão do Exército dos EUA. Na Guerra do Vietnã, o isqueiro marcado virou uma declaração pessoal. Com suas mensagens arranhadas, que vão de declarações de guerra a recados frívolos, passaram a cobiçados itens de colecionador, com preços bastante elevados.

Mesmo sendo considerado uma lenda do design, ele não é um produto  que foi criado com o visual em mente. A forma foi o resultado de uma evolução impulsionada por demandas funcionais. Hoje, a Zippo lança uma nova coleção de isqueiros a cada ano e segue firme com sua garantia vitalícia!

Como datar o seu isqueiro Zippo

isqueiro zippo vintage

Como todo colecionável, o Zippo tem alguns detalhes que valorizam mais ou menos o produto. O maior deles, é a data de fabricação.

Encontrar a idade de um isqueiro Zippo não é uma tarefa tão difícil. Os mais recentes são ainda mais fáceis, graças ao sistema de impressão da data no processo de fabricação a partir do ano 2000. Para isqueiros feitos antes, há alguns códigos diferentes e você precisa seguir alguns passos simples para determinar a data de fabricação.

  • Mesmo sem o código de data, a maioria dos isqueiros fabricados entre 1933 e 1957 também pode ser identificada por estilo ou grafia da marca em baixo dele. Confira o selo na parte inferior do isqueiro. Os fabricados antes 1937 possuem a frase “Pat. Pending”, porque o primeiro modelo patenteado só foi produzido mais tarde. Se no selo estiver escrito Patent 2032695, significa que o isqueiro foi manufaturado em 1937.
  • Confira o selo na base do isqueiro. Se o selo exibir a frase “Black Crackle Patent 203695” é porque o isqueiro foi fabricado entre 1949 e 1957. Se a mensagem “Patent 2517191” estiver gravada na parte central da base do isqueiro, significa que sua fabricação ocorreu entre 1951 e 1957.
  • Procure por outras marcas na parte inferior do isqueiro. Os Zippos tem alguma marcação desde a década de 1950. O objetivo original era o controle de qualidade, mas a série de números virou uma ferramenta inestimável para os colecionadores. Aqueles fabricados entre 1957 e 1965 possuem entre um e quatro pontos em cada lado do isqueiro. Os que foram fabricados entre 1966 e 1972 têm entre uma e quatro linhas verticais gravadas em cada lado de sua base. Entre 1974 e 1981, a Zippo usou barras em nos lados da base do isqueiro para marcar a data de fabricação. Entre 1982 e 1986 foram usadas contrabarras.

data de identificacao zippo

  • Leia as letras e os números gravados na base do isqueiro. Observe que uma combinação de letras e números romanos indica que o isqueiro foi fabricado entre 1986 e 2000. As letras de “A” a “L” seguidas por um número de dois dígitos indicam que a fabricação do isqueiro ocorreu entre 2001 e 2010.
  • O sistema de datas mais atual usa uma letra e dois dígitos para identificar o mês e o ano de fabricação. As letras de A a L representam os meses (A para Janeiro, B para Fevereiro, etc). Os dois dígitos correspondem ao ano de fabricação (14 para 2014)
  • O visual da palavra “Zippo” carimbada na parte de baixo do isqueiro é outra pista. A marca passou por três mudanças, conforme a imagem abaixo. De 1933 até meados dos anos 50, a palavra Zippo era marcada em letras maiúsculas. O logotipo mais leve apareceu em torno de 1955. No final dos anos 70, o logotipo foi redesenhado, mas só foi incorporado no carimbo em 1980.

logo zippo

  • O número de dobradiças na tampa do isqueiro também ajuda a determinar a idade, mas como os primeiros Zippos falhavam muito na tampa, muitas originais foram substituídas. Esse detalhe não é sempre tão confiável mas pode ser combinado com outros para tirar dúvidas.
    • Dobradiças externas com 3 divisórias: 1932 – 1935
    • Dobradiças externas com 4 divisórias: 1936 – 1937
    • Dobradiças internas com 4 divisórias: 1936 – 1943
    • Dobradiças internas com 3 divisórias:1943 – 1948
    • Dobradiças internas com 5 divisórias:1948 – atual
    • Dobradiças externas com 5 divisórias: réplicas de 1932 e 193
  • Buracos na chaminé
    • 16 (8 de cada lado) – 1933 – 1934
    • 14 (7 de cada lado) – 1935 – 1946
    • 16 (8 de cada lado) – 1947 em diante

Registros variados no fundo de cada isqueiro tornam possível a identificação dos Zippos desde a década de 1930, fazendo deles os presentes vintage ideais. Existem poucos objetos de uso diário que conseguem despertar a tanta atenção dos colecionadores. Os originais são vendidos por vários milhares de dólares!

Onde Comprar Isqueiro Zippo


isqueiro zippo vintage

Primeiramente, a não ser que você esteja procurando uma peça de colecionador ou um produto realmente vintage, eu aconselho comprar direto no site da Zippo ou algum distribuidor autorizado. Você pode pagar um pouco a mais, mas tem a garantia de estar recebendo uma peça de qualidade.

No Brasil não é difícil encontrar, sabe? O Zippo é super comum. Na internet, encontrei alguns modelos no Mercado Livre, no Mundo Zippo e no Pure Zippo. O site Vintage Garage tem alguns isqueiros um pouco mais únicos e até antigos.

Se você quiser algo diferente, talvez antigo, mas não necessáriamente um vintage especial, eu recomendo procurar no Etsy, um site excelente para garimpar. Você pode perder horas seguindo a trilha das páginas recomendadas!

Outra sugestão sempre muito boa é procurar no eBay. Experimente buscar por “vintage zippos” ou alguma época específica, como “vietnam zippos” ou “WWII Zippos”, por exemplo. Nos dois casos, fique atento aos detalhes do produto e não tenha medo de perguntar. Você também pode usar agregadores que fazem um filtro prévio de leilões interessantes, como o site Collectors Weekly.

No mais, é preciso garimpar e ficar de olho em feiras e brechós, pois eles sempre aparecem. Nos Estados Unidos e outros países mais ligados a esta cultura de colecionáveis você vai ter mais dificuldade para encontrar aquele achado por uma pechincha esquecido em algum lugar.

É possível ter muito mais sorte no Brasil, principalmente naquelas feiras despretenchisas e brechós que não tem especialização. Quando a “barraca” na feira pertence a um cara mais especializado, você pode ter que negociar. Na feira Benedito Calixto, em São Paulo, muitos colecionadores vendem isqueiros de várias marcas por preços elevados, pois são sempre items bons para colecionar.

isqueiro zippo vintage de guerra

isqueiro zippo vintage

Se você não for um fumante e quer carregar um isqueiro para estar preparado, eles não são sua melhor escolha. Além de maiores e relativamente pesados, também perdem combustível com mais facilidade se ficarem parados durante longos períodos.

Um simples BIC desses que compramos em qualquer mercadinho funciona perfeitamente se esse for o objetivo, mas nem se compara o visual e o apelo de colecionador. Independente de modelos e escolhas, ter um isqueiro na sua mochila ou bolso é sempre importante!

Agora, para quem fuma, o Zippo me parece um ritual. É só você reabastecer seu combustível de semana em semana, e pelo que escuto, não se importar com o sabor de combustível nas primeiras tragadas do seu cigarro. Na verdade, o cheiro não parece ser um problema: simplesmente virou parte da experiência.

Pra mim, o design simples é imbatível. Pra colecionar então? A rica história e a quantidade de variedades é um prato cheio para uma boa caça ao tesouro.

O Zippo foi testado em qualquer situação imaginável. Nem imagino quantos fogos eles acenderam. Foram bons o suficiente nas praias da Normandia e Iwo Jima. Foram bons o suficiente no inferno verde do Vietnã. Funcionam pra pescar no Alasca e resolvem nas plataformas de petróleo no Atlântico. São sempre bons o suficiente, e funcionam.

Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo