Conheça um pouco da história e alguns dos tipos de camuflagem

A técnica de encobrir ou disfarçar um objeto, com mantas feitas de pele de animal e o uso de arbustos vem sido utilizada desde a pré-história, mas a utilização da camuflagem nos campos de batalha é um fenômeno relativamente recente. Conheça a história da arte da invisibilidade.

As primeiras tentativas

Até o século 19 era comum que os soldados usassem as cores que representassem o país, como o vermelho e o azul. Essas cores chamativas também eram utilizadas sob a alegação de que faziam uma pressão moral sobre o inimigo e eram úteis na hora de identificar os soldados aliados durante as lutas.

Acontece que, com o desenvolvimento das armas de fogo — especialmente após o surgimento dos rifles de longo alcance —, não era mais necessária uma grande aproximação do inimigo e os uniformes coloridos facilitavam a identificação do alvo.

Nesse período, a ideia de camuflagem era a de utilizar as cores verde-escura (Rifle Green ou verde fuzileiro). Os soldados ingleses, os primeiros a utilizavar esse tipo de camuflagem eram chamados de Jaquetas Verdes. Outra cor utilizada na camuflagem era o cinza, que permitia um bom disfarce em meio às fumaças do campo de batalha e diminuía a silhueta do soldado, confundindo os atiradores.

A natureza e a arte a favor da camuflagem

Aos poucos a indústria bélica começou a criar outras técnicas de camuflagem adequadas às diferentes situações. Foi durante a Guerra dos Boêres que os britânicos começar a adotar a camuflagem cáqui, uma derivação da palavra urdu khak, que significa “empoeirado”. Os soldados tingiam seus uniformes e corpos com um barro dourado, que confundia os hábeis atiradores indianos. A partir de 1886, todo o exército britânico já utilizava a técnica de camuflagem.

Já a primeira unidade militar camuflada foi criada na França em 1915, com o auxílio de artistas cubistas e que criou a técnica que ficou conhecida como camuflagem dazzle. A ideia não era a de tornarem invisíveis os equipamentos, tanques de guerra, navios e uniformes, mas sim, de confundir o inimigo. Deu certo até o final da Primeira Guerra Mundial.

A camuflagem contemporânea

Na Segunda Guerra Mundial, com os aviões de guerra e um campo de lutas maior do que o do conflito anterior, exigiram a evolução das técnicas de camuflagem. Foi então que surgiu o padrão de camuflagem Woodland com manchas em tons de verde e marrom, que você deve reconhecer nos filmes de guerra. Eles foram utilizados por exércitos do mundo todo até o final do século XX e eram eficientes, pois era muito difícil identificar os soldados da paisagem.

Desde então a tecnologia tem trabalhado em busca de novos tipos de camuflagem. Na década de 1970 as forças armadas norte-americanas adotaram um padrão conhecido como “textura dupla”, que é uma das técnicas de camuflagem que deram origem à camuflagem digital utilizada nos dias de hoje.

Padrão de camuflagem MultiCam

Criado para substituir o padrão Woodland, o padrão de camuflagem MultiCam (Multiple Camouflage) hoje é utilizado em unidades de testes do US Army, pela Força Aérea de Resgate americano (USAF PJ) e pela Força área de Combate (CCT).

Hoje as técnicas de camuflagem não estão restritas ao mundo militar e suas vantagem são reconhecidas e largamente utilizadas por empresas de segurança, usuários domésticos que participam de atividads como Airsoft e Paintball, mas também no mundo da moda!

1 comentário em “Conheça um pouco da história e alguns dos tipos de camuflagem”

  1. As vestimentas militares sempre influenciando a moda masculina ao longo da história. Bom texto, pode abordar mais sobre esses padrões de camuflagem na moda contemporânea.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *