Vacation Wear – Ferias Gringas

instagram só queria ter umPowered by Rock Convert

P011

Pessoal, outro dia estava conversando com o amigo Handerson sobre as tendências que vi lá fora nessa última viagem e no pulo que dei no Inspiration LA. É difícil falar disso no mundo vintage/workwear/clássico porque esse mundo anda devagar, é meio anti-moda (slow, lento) e tem limites bem definidos. Apesar disso tudo sempre aparecem os modismos, tipo o sapato double monkstrap, ou a bota moc toe, que formam pequenos ciclos. Anotei três coisas dessa vez:

– Sportswear vintage baseado no passado do Baseball.
– Referências no outdoor retrô… montanhismo, pesca, alpinismo, acampamento.
– Vacation Wear, literalmente o oposto do workwear e do menswear engravatado… as roupas de férias. Mais Hawaii e menos chão de fábrica, mas podendo misturar com um jeans e uma bota, que é o assunto deste post.

Este mês saiu uma sequência de posts super legal sobre Vacation Wear” no blog Put This On. Está bem em alta entre as marcas com inspiração vintage. Aqui no Brasil a gente já anda na rua como gringo de férias né? O país é quente, relaxado e informal. As roupas de férias no post do Put This On são aquelas que associamos com o estereótipo do turista estrangeiro de terceira idade nas nossas praias, de bonezinho, papete (com meia), pochete, bermudão cargo e as camisas floridas dois números maiores.

O texto dá exemplos de “vacation wear” mais moderados, combinados de um jeito interessante e divertidos em climas quentes. É o que estamos acostumados aqui, e o que vemos muito na nossa moda entre os antenados, apesar de eu associar camisas estampadas aos hipsters estilo vovô, de bigode irônico, mais tropical, mais Carmen Miranda.

De Onde Veio o Vacation Wear

tumblr_inline_o59q7a7wTV1qf0t7e_500

O vacation wear gringo das camisas estampadas vem de várias influencias, mas principalmente a cultura tiki dos Estados Unidos e o surfe. Outra grande influência na moda atual é o revival dos anos 90… pensa no Tim Roth em Pulp Fiction, Johnny Depp em Fear and Loathing in Las Vegas ou Leo DiCaprio em Romeo e Julieta, uma mistura de camisas floridas, drogas e metralhadoras. A medida que o vestuário masculino foi ficando mais casual nos anos 60, ao ponto que até o presidente dos EUA posou despretensioso para a capa da revista Life, e essas roupas que antes só eram usadas na praia foram acrescentadas ao repertório masculino do dia-a-dia.

A Cultura Tiki

No meio do século 20 a cultura americana virou os olhos para a Polinésia. As sementes começaram a ser plantadas antes da Segunda Guerra Mundial, quando os primeiros tiki bars apareceram em Hollywood, e os havaianos começaram a vender camisas estampadas para os turistas americanos.

A explosão veio depois da guerra quando os soldados americanos que voltaram para casa depois de servirem no pacífico recriaram aquilo que seria a cultura tiki para eles, apropriando os aspectos que gostavam, da forma mais genérica, superficial e pop possível. Após servir como um dos posto avançado do tio Sam no combate contra o Eixo durante a Segunda Guerra, os moradores das ilhas Pacíficas passaram por uma invasão nos anos seguintes, com filmagens agitadas por tripulações de Hollywood.

Em 1959 o Havaí virou um estado americano e firmou essa cultura nos Estados Unidos. A vida idealizada em uma ilha paradisíaca, como Elvis que volta para casa em Feitiço Havaiano e encontra sua família passando os dias bebendo Mai Tai mas descriminando a cultura local. Era um sonho pós-guerra no meio de toda a repressão social da época… Noites mornas vestindo uma camisa floral com um drink de abacaxi em um bar de bambu ao som das ondas, bem longe do concreto e do ferro das fábricas. As passagens aéreas estavam ficando mais barata e o Havaí mais acessível, mas não era preciso ir até lá: um drink temático no quintal já era escapismo suficiente.

Vintage Tiki Bar

Vintage Tiki Bar


Aloha

Influência do Surf

O surf se espalhou do Havaí para a Califórnia, por diversos fatores que começaram a afetar a juventude, e junto veio a sua influência cultural na moda e na música. A cultura também influenciou muito a música da época e bandas como Dick Dale e os Beach Boys celebravam a onda do surf se espalhou por todos os cantos. Nem todos conseguiam surfar, mas qualquer um podia ter o estilo!

A moda surf trouxe os boardshorts e outros clássicos do vacation wear moderno para o arsenal da moda masculina, e outros clássicos do surfwear da época incluem camisas Pendleton, jeans branco e sandálias Huarache.

Surfistas nos anos 60

Surfistas nos anos 60

Duke Kahanamoku, uma das maiores lendas do surfe.

Duke Kahanamoku, uma das maiores lendas do surfe.

Onde Comprar

Vou complementar a lista e recomendações do Put This On com algumas lojas e marcas nacionais que eu acho legais.

Nós homens geralmente evitamos usar roupas estampadas ou muito chamativas. O estilo masculino, no geral, é diferenciado pelos detalhes, corte, proporções e texturas, chamando atenção para as melhores características físicas, e com uma estampa gigante. Mesmo assim elas são uma alternativa divertida para dar um toque especial a um visual clássico, inclusive com calça jeans. Pra quem curte vintage é mamata… tudo a ver!

Pra não errar nos dias de hoje é fácil… só usar com básicos discretos, lisos, exercendo sempre o cuidado para não bombar tudo. Nada de exageros estilo Johnny Depp, e pode deixar o ukulele em casa.  Para garantir sucesso nas entrevistas de emprego use uma tanga florida sem camisa e descalço na frente do RH para conseguir uma posição na diretoria enquanto os concorrentes invejosos voltam pra casa.

Dion Ochner e Nacionais

Esse papo de férias é exatamente o oposto do workwear, que busca inspirações no trabalho industrial, estética que nunca pegou direito por aqui por causa do clima e vários outros motivos. Eu pensei na hora na marca brasileira Dion Ochner, uma pequena marca de roupas e acessórios que pelo mix de produtos vem buscando inspirações que variam exatamente entre o workwear e o vacation wear. Para mim é uma marca nacional que vai super bem nessa proposta vintage, e a maioria dos produtos são unissex.

Outra marca nacional que não conheço mas tem umas estampas mais tropicais, menos aloha/vintage, é a Pyramid Brand.

camisa-florida-dion-ochner (3)

camisa-florida-dion-ochner (1)

camisa-florida-dion-ochner (2)

Vintage

A coisa que você mais encontra em brechós masculinos no Brasil são camisas estampadas. O risco dessas camisas antigas é o corte ruim (que pode ser ajustado facilmente por um alfaiate) e as estampas bregas. Procure pelas araras do brechó da sua cidade.

A marca de camisas havaianas mais clássicas de todas se chama Reyn Spooner. Essa marca tem umas camisas popover bem legais com uma cara desbotada. O ebay é cheio e as mais antigas são feitas no Havaí.

As camisas estampadas atuais costumam ser feitas com alguma mescla de algodão e sintético. Entre as vintage é muito comum ver camisas de rayon, que tem um preço bem alto. As camisas de rayon vintage tem estampas bem chamativas e você também vai encontrar estampas que vão além do “aloha” e se aproximam do estilo rockabilly.

Para clássicos da década de 80 ou 90 eu recomendo contato com o Ubora Clothing e o brechó B.Luxo pode ter uma leva de aloha shirts mais antigas.

Reproduções Vintage

As camisas estampadas antigas tem um charme e eu não gosto muito das que fabricam hoje em dia (a não ser que imitem o estilo das antigas)

As mesmas marcas que fazem reproduções de workwear, como as marcas da Toyo (Sugarcane e Buzz Rickson) também costumam fazer excelentes reproduções de vacation wear. A Toyo tem a marca Sun Surf e Duke Kahanamoku (em homenagem a lenda do surfe) que fazem camisas com padrão vintage e corte mais slim nos braços. A Star of Hollywood faz camisetas de rayon com estampas exclusivas que não são nem um pouco paraianas.

A japonesa Yellow Rat é uma marca especializada em roupas inspiradas pelo surf e beachwear vintage.

A Mister Freedom tem algumas coleções inspiradas no Pacífico praiano e também umas camisas bombásticas de rayon totalmente rockabilly.

A Self Edge acabou de inaugurar uma loja no México focada neste estilo então o site deles é uma boa fonte para essas marcas com pegada vintage, apesar dos produtos serem importados do Japão e por isso o preço fica mais caro.

RnR-Shirts-Mix-4-1024x915

05021127_554435fa0ab8a 06041731_538ed96649403 05021135_554437e5f2a95

RnR-Shirts-Promo-1024x724

 

Além das Camisas

Eu acho muito difícil usar mais de uma peça estampada ao mesmo tempo, apesar de ser possível sim. As mesmas marcas que fazem camisas estampadas também tem fazem jaquetas, bermudas, boardshorts e outras peças inspiradas em peças casuais do passado, muitas vezes estampadas. A Birdwell faz boardshorts totalmente vintage e a brasileira Cotton Project. Novamente, a Yellow Rat, uma marca japonêsa super underground tem muitos produtos legais com essa estética mas é bem difícil conseguir sem um proxy para enviar de lá.

banner-loja-geralPowered by Rock Convert
Lucas Azevedo
Escrito por Lucas Azevedo
Apaixonado por experiência do cliente, varejo e produtos. Criei o Só Queria Ter Um para compartilhar minhas experiências com botas, raw denim e vintage!