Raw Denim: Tudo sobre o jeans bruto

Raw denim, às vezes chamado de jeans bruto, é o jeans que não foi submetido a nenhuma processo de lavagem. El alguns casos, não chega a receber nenhum tipo de beneficiamento. Roupas feitas com raw denim começam rígidas e amaciam com o tempo de uso normal, ganhando marcas que refletem seu comportamento enquanto veste elas.

Pode parecer estranho, mas este tecido em seu estado natural sem nenhuma lavagem ou desgaste artificial é muito procurado por que desbota de forma individualizada com o tempo de uso. Duas pessoas usando a mesma calça vão acabar com produtos diferentes, ainda mais originais.

A calça jeans é mais do que uma roupa, ela é um ícone cultural. As antigas, ou vintage, são as mais valorizadas. Tanto é, que as marcas fazem de tudo para reproduzir as marcas de uso, utilizando lavagens que desgastam o tecido e prejudicam o meio ambiente. A verdade é que quase não se fazem mais calças como antigamente. Os detalhes mudaram, o azul indigo mudou.

Procurando resgatar as calças do passado, surgiu um movimento nos Estados Unidos, Europa e Japão, que buscou retomar o que há de mais especial nas calças jeans, a forma como ela se transforma com o tempo. Marcas começaram a fazer calças com detalhes anteriores a década de 60, época em que o jeans deixou de ser símbolo de trabalho e rebelião e virou peça fashion.

Uma calça feita com um bom raw denim, pois vamos descobrir que atualmente também existem tecidos feitos sem responsabilidade com a cadeia produtora, é fiel ao rico legado da calça jeans. É um universo muito interessante, e convido você a continuar lendo para descobrir esse mundo do jeans feito “à moda antiga”.

O que é denim?

Denim, ou brim, é um tecido de algodão com ligamento de sarja que costuma ter três fios de urdume para um de trama. Este tecido é muito utilizado na fabricação de calças jeans. Estima-se o consumo mundial de 3 bilhões de metros por ano, sendo que os Estados Unidos, a Europa e o Japão, representam mais de 65% do consumo mundial.

O interesse pelo jeans tem a ver com a história riquíssima do tecido, que surgiu como uniforme de trabalho pesado e inspirou gerações, como expressão de rebelião. Ele viveu nas velas do barco de Cristóvão Colombo. Rasgou a terra na Corrida pelo Ouro e montou cavalos com os cowboys do Velho Oeste.

É uma longa história, que vou resumir a seguir!

Como surgiu o tecido jeans?

Não se sabe exatamente onde o tecido surgiu, mas existem algumas hipóteses:

Desde o século XVII, um tipo de jeans rústico já vinha sendo usado para confeccionar calças e tapeçaria. Gorguet-Ballesteros, pesquisadora do Museu da Moda de Paris, diz que esse tecido chamado serge de Nîmes existiu na França e na Inglaterra. Na mesma época, havia uma mescla de lã que os franceses chamavam de nim. Na Italia, havia também um tecido chamado “gean”, sendo este uma mistura de algodão, lã e linho. Lynn Downey, historiadora chefe da Levi’s, escreveu em A Short Story of Denim que não se sabe ao certo como foi a evolução detes tecidos até o jeans que conhecemos hoje.

A origem da palavra “denim” também não tem explicação certa, mas a hipótese mais aceita é que o nome veio de um dos possíveis locais de origem. “Denim”, seria um encurtamento do Frances “de Nîmes”. O tecido jeans feito completamente em algodão existe a partir do século XVIII. Na época, servia para a confecção de vestuário de trabalho, já que suas principais características eram a durabilidade e resistencia.

Apesar da origem estar na Europa, o tecido so alcançou proporções lendárias graças ao que aconteceu nos Estados Unidos. As indústrias têxteis norte-americanas começaram uma pequena produção de jeans no final do século XVIII, sonhando em se tornar independentes (principalmente dos ingleses). Um imigrante visionário viu grande potencial no tecido, e teve a ideia que deu origem à calça jeans!

Levis: A invenção da calça jeans

A Levi’s lançou sua calça na virada da década de 1890. A grande inovação foram os rebites de metal nos pontos de tensão, reforçando a construção da calça de trabalho. Este outro post conta mais sobre a história da Levi’s e a invenção da calça jeans, que foi um tremendo sucesso na Califórnia, abarrotada de sonhadores em busca de Ouro.

A durabilidade agradou a todos os envolvidos em qualquer tipo de trabalho pesado, inclusive aqueles responsáveis pela construção das comunidades que foram se formando ao redor do garimpo. O jeans logo se tornou símbolo de trabalho duro, algo que no futuro viria a ser valorizado. Surgiram outras marcas icônicas, e a calça logo estaria no guarda roupa de todos!

Muitos anos se passaram desde então, mas o jeans esteve sempre presente. Em 1926, a calça ganhou o apelido de cowboy overalls, pois foi assossiada ao velho oeste que encantava os turistas da costa leste dos EUA. Na Segunda Guerra Mundial, a calça jeans foi exportada e vestida por soldados e marinheiros em bases estrangeiras. Foi assim que o resto do mundo teve seu primeiro contato com a calça e se apaixonou.

E assim, pouco a pouco, a durabilidade do denim foi abraçada por todos. É difícil alguém não ter pelo menos uma calça jeans no armário. Provavelmente, também é a calça favorita de muita gente. Como eu disse, ele é mais do que um tecido!

O que é raw denim (jeans bruto)?

Raw é inglês para cru, ou bruto. Sendo assim, por aqui esse tipo de jeans é comumente chamado de jeans bruto ou jeans cru. No passado, todas as calças jeans eram feitas com este tecido. Vou explicar melhor como foi esse processo.

A fabricação do tecido jeans começa com as fibras de algodão sendo transformadas em fios. Esses fios são tingidos e enrolados em diversas bobinas. Os escuros, vão para o urdume e no tear pasam pelo processo de tecelagem que os entrelassa com os fios brancos da trama. O tecido que sai do tear está em seu estado bruto, sem nenhum beneficiamento.

O que acontece em seguida, em noventa e nove porcento das das fábricas, é o envio do tecido para um setor de beneficiamento onde ele é submetido a vários processos. O jeans bruto é escovado, cilindrado e até chamuscado para eliminar as fibras soltas. Em seguida, é normal ser amaciado e sanforizado (pré encolhido). O tecido ainda vai receber uma lavagem para desbotar e outros acabamentos para ficar com cara de usado. Esse é mais ou menos o processo de fabricação de uma calça jeans “comum”.

Como era no passado?

Se voltarmos no tempo, mais ou menos até ali na década de 50 e 60, o jeans não recebia nenhuma lavagem. As calças eram feitas com o tecido em seu estado bruto. Se voltarmos um pouco mais no tempo, mais ou menos na década de 40, não era nem pré-encolhido (sanforizado). Todos esses processos de beneficiamento surgiram para aumentar a eficiencia e previsibilidade da produção. Também trouxeram benefícios para os consumidores, que recebiam produtos com menos variações e não precisavam se preocupar com tanto encolhimento na primeira lavagem.

A diferença para as calças antigas para essas feitas hoje em dia, é que o tecido mantinha o seu azul original intacto, além de características irregulares muito interessantes que são eliminadas no processo de beneficiamento, quando ela é cilindrada, escovada, etc. Digamos que a calça perde um pouco de seu charme.

A nova calça jeans

O jeans bruto foi padrão até meados dos anos 50. Quem usava calças jeans antes desta época eram os operários, os trabalhadores braçais, etc. Foi em 1950 que grupos jovens enxergaram aquelas roupas marcadas como um símbolo, e começaram a vestir o jeans azul para se distanciar da geração de seus pais. Usar calça jeans era rebeldia, e o legal era surrar até ela ficar desbotada, sem estar nem aí para o bom-mocismo. Foi tão chocante para a sociedade norte-americana, que calça chegou até a ser proibida nas escolas dos Estados Unidos durante um curto período na década de 1950.

A medida que a calça jeans foi aceita pelo público geral, ela também foi adaptada para agradar pessoas que gostavam da calça por que ela tinha essa ideia de “bruta”, mas queriam algo macio. Quando o jeans virou moda, as lojas começaram a vender versões que já vinham desbotadas e lavadas.

As marcas que antes apareciam com o uso, e foram responsáveis pelo sucesso do produto, vinham prontas. A calça jeans “surrada”virou mais um estilo “enlatado” pela moda, entre outros. Os produtos pareciam gastos e a publicidade vendia o conceito de liberdade, mas não podia perder coloração: A calça tinha que ficar daquele jeito bem planejado para sempre. Daí pra frente, conseguir uma calça com jeans que desbotasse passou a dar trabalho.

Como o padrão passou a ser o jeans com lavagem e beneficiamento, passou-se a usar o nome raw denim para descrever o tecido que não passa por estes processos. Cada jeans brutos tem suas características que o diferenciam de outro, mas esse é o ponto comum entre eles. Jamais são desbotados artificialmente e não recebem nenhum tratamento para ficar aspecto usado. É um tecido rígido e cartonado, o denim em sua forma mais pura.

Raw denim: a mágica das roupas está no fato de que ela nos recebe

O mais legal no jeans bruto é como ele vai desbotando com o uso, recebendo a marca humana. O raw denim não resiste à história de nossos corpos, ele é moldado por nosso toque. Sim, ele dura, mas é mortal. Diferente do jeans pré lavado, que tem marcas sem vida.

Uma característica marcante de qualquer denim é, que em sua variação mais comum, apenas os fios do urdume são tingidos com corante indigo. Tanto é, que os fios da trama no avesso da calça são brancos. O algodão não tem tanta afinidade com corantes, e apesar da superfície absorver a cor, seu núcleo permanece branco. Com o atrito, ele vai soltando azul e desbota.

Quando o denim é pré-lavado, ele perde a coloração por igual, em condições controladas, e depois desbota com menos agressividade. Esse processo, inclusive, é altamente poluente. Em alguns casos, faz-se de tudo para que não perca cor.

Não é que o raw denim seja o único que desbota, pois parte desse processo também tem a ver com a maneira como os fios são tingidos, entre outras coisas. O fato é, como o jeans raw não recebe nenhum beneficiamento, ele vai perder a cor a medida que você se movimenta, coloca e pega alguma coisa no bolso, senda, corre, caminha. Você vai esbarrar aqui e a ali, e a cor não vai sair por igual. É uma tela em branco para suas experiências.

Porque usar raw denim?

Nem todo jeans bruto é bom, ok? Afinal, basta qualquer fábrica não beneficiar o seu tecido e pronto, você tem um jeans bruto. Mesmo assim, arrisco dizer que um jeans bruto ruim ainda é melhor do que um jeans com lavagem ruim, pelos seguintes motivos!

A Sua Calça É Única:

O principal benefício é o desgaste do indigo. Isso não acontece da mesma forma em todas as calças, evai depender muito das qualidades do tecido, mas normalmente com o raw denim, cada passo, cada arranhão, cada coisinha no bolso vai contribuir com uma marca.

O índigo escuro começa a dar lugar a um azul mais forte e com o tempo o branco do algodão vai dando as caras para completar o contraste. A sua calça é sua, única, sem igual! Essa é a parte mais legal, e compartilho minha experiência nesse texto sobre o passar dos anos dos meus velhos jeans.

Durabilidade

O tecido não passou por nenhuma lixa, nenhum desgaste com areia, nenhuma lavagem. O jeans feito com raw denim não sofreu nenhuma abrasão e ainda tem a sua vida útil intacta. Mesmo um jeans lixo vai durar mais do que o seu “irmão” que foi lixado e lavado.

Conforto:

Não se deixe enganar pela rigidez inicial. Pode confiar… usa que a calça vai virar uma segunda pele. O jeans bruto se adapta ao seu corpo que é uma beleza.

Sustentabilidade:

Obviamente isso vai depender muito de fábrica para fábrica, já que existem produtores de raw denim que provavelmente também exploram o meio ambiente e seus trabalhadores. No entanto, o processo em si irá consumir menos recursos. Veja só:

Plantar e colher algodão consume muita água e energia, mas lavar e desbotar um jeans artificialmente consome muito mais. Em média, gasta-se 42 litros de água por calça. Quando você compra uma calça bruta você ajuda a economizar toda essa água.

Você também poupa os funcionários das fábricas de encararem os químicos tóxicos geralmente usados para desbotar e lavar as calças.

Acumule menos

Quando você começar a gostar de raw denim vai querer usar a mesma calça todos os dias, literalmente. Você vai se satisfazer com uma calça só no guarda roupa, economizando espaço e acumulando experiências!

Além disso, voltamos ao ponto da sustentabilidade: uma boa calça não é jogada fora e não se torna mais lixo por aí.

Compre menos, compre melhor:

Não se assuste com o preço. Existem calças realmente muito caras, por causa de sua exclusividade e capricho. No entanto, existem calças feitas em raw denim que são bem acessíveis, como as da Unbranded. Você vai ter ela por muito mais tempo.

O Raw denim bem feito é mais forte, mantém o caimento por mais tempo e se adapta ao seu corpo. Ele também evolui com o tempo e fica mais bonito depois de usado. Quem usa, tem seu dia-a-dia ficam impresso no tecido e com o tempo recebe uma calça super confortável e totalmente original.

Gostou da história do denim, e como o jeans bruto resgata o que tornou a calça jeans legal em primeiro lugar? Então você ler este outro artigo para conhecer o selvedge, o principal detalhe que diferencia os melhores raw denim.

10 comentários em “Raw Denim: Tudo sobre o jeans bruto”

  1. Olá Lucas,
    Eu gosto bastante do blog e sua proposta, que é única em sites nacionais. Eu tenho seguido todo esse hype sobre o raw denim há algum tempo e não vou mentir que estou morrendo de vontade de comprar alguns desses jeans numa próxima viagem. No entanto, algo me incomoda muito! Eu moro na Bahia e no interior do RJ onde, como você pode imaginar, faz muito calor praticamente o tempo todo, então minha prática típica é colocar para lavar minhas calças após 3-4 usadas. Logo, para mim é quase inconcebível alguém passar meses(!) sem lavar uma calça jeans. Nesse período ela não ficaria fétida? Caso eu comprasse uma boa calça raw, ela não ficaria “branca” após alguns meses sendo lavada com essa frequência?
    A.L.L.V.

    1. E ai Armando, beleza? Não vou mentir, se você usar a calça todo dia e suar, ela vai pegar um cheiro sim. Se for só a noite ou no trabalho, lugar mais tranquilo, aí é mais de boa. Eu não sou hardcore… Começou a feder eu lavo. Tem gente que recomenda colocar em um saco plástico e deixar no congelador. Primeiro só deixo de molho.
      Ela não fica branca, mas depois da primeira lavada perde a rigidez e fica bem azulona. Nas próximas o azul se mantém e só desbota com o uso normal, como qualquer calça.

      Uma coisa que você pode fazer para amenizar é procurar um jeans bruto mais leve. As de 11oz vão ser mais tranquilas! Mais largas também. Raw skinny é forno aqui no Brasil.
      Eu to viajando e quando chegar em casa comento de novo com umas opções.

    2. André Duarte

      Olá, sou André Duarte, especialista em lavanderia jeanswear e muito íntimo com os selvedges e raws em geral. Para se higienizar estas peças antes da primeira lavagem, sugerimos duas possibilidades bem simples: a primeira é colocar a peça em um saco plástico fechado hermeticamente fechado e deixe no freezer por 3 dias. outra possibilidade é deixar a peça do avesso no varal, sempre que possível.

      1. Tathiana Barbar

        André, boa tarde!
        Poderia me passar seu e-mail e telefone de contato? Gostaria de conversar com você sobre uma pauta.
        Obrigada!
        abs
        Tathiana

  2. Aaa Lucas, essa matéria me deixou com uma vontade de pegar a sua unbranded da loja, você não tem noção…

    De 2014 pra cá, eu acabei comprando muito jeans nacional (acho que tenho umas 10 calças atualmente). Embora todas tenham sua originalidade, comparar com denim cru meio que coloca eles no escanteio porque a beleza e nível de produção parece não chegar nem perto…

    Vou dar mais atenção pra esse tipo de calça de agora em diante e quem sabe eu contribua pela primeira vez com a lojinha hein… Você já me ajudou a escolher a bota que vai me acompanhar por anos, então nada mais justo do que conseguir a calça pra combinar com ela aqui mesmo né rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *